ESTADOS UNIDOS

Howard – 5,5

Falhou bisonhamente no primeiro gol e quase deixou Portugal fazer o segundo em outro erro, mas se recuperou para salvar o rebote com um milagre. Pecou muito no posicionamento.

Johnson – 7,5

O melhor em campo dos Estados Unidos soube aproveitar bem os improvisos do lado esquerdo da defesa portuguesa. Explorou muito as jogadas de linha de fundo e de seus pés nasciam os lances de maior perigo do US Team. Também não deixou Cristiano Ronaldo se criar por ali.

Cameron – 3,5

Uma calamidade. Falhou nos dois gols portugueses: furou o cruzamento no primeiro e não marcou Varela no segundo. Pior ainda, não passou confiança alguma.

Besler – 6,5

Teve que compensar os muitos erros de seu parceiro de zaga, com muitas roubadas de bola e chutões para o lado. As condições físicas não ajudaram, mas suportou bem a partida.

Beasley – 6

Cumpriu bem seu papel na lateral esquerda, fechando os espaços e ajudando no apoio. No entanto, se desleixou no setor no segundo gol português.

Beckerman – 6

Desarmou e combateu bem no meio-campo, não deixando os meias de Portugal trabalharem tanto por ali. Não inventou na saída de bola, o que é importante.

Jones – 7

Não foi brilhante como no primeiro jogo, errando passes em excesso, mas fez outra grande partida. Bateu quando tinha que bater e foi vital nas subidas ao ataque, marcando o primeiro gol em um bom chute de longe.

Bedoya – 5,5

Discreto pelo lado direito do campo, ajudou mais Fabian Johnson a ter tanta liberdade em suas subidas ao ataque. Saiu no segundo tempo.

(Yedlin) – 6

Embora devesse fechar mais o lado direito, foi bem no apoio, especialmente porque Johnson já havia se cansado. Teve participação ativa no segundo gol, em jogada de linha de fundo.

Bradley – 6,5

Foi o jogador que se esperava na distribuição de jogo e no início do combate no meio-campo. Foi um dos que mais ameaçou a meta portuguesa e só não marcou porque Ricardo Costa salvou.

Zusi – 6

Principal nome na armação das jogadas, demonstrou sua qualidade nos passes e nos cruzamentos. O segundo gol veio em seu cruzamento. Faltou dar mais gás, apenas.

(González) – sem nota

Entrou apenas no final e não pode evitar o gol de empate.

Dempsey – 7

Encabeçando o ataque dessa vez, manteve-se em campo até esgotar as energias. Foi que mais criou chances contra a meta portuguesa, movimentou-se bastante e, de barriga, buscou a virada.

(Wondolowski) – sem nota

Fez pouco ao substituir Dempsey, sem muito tempo para ser avaliado.

PORTUGAL

Beto – 5

Abusou do golpe de vista e dos maus posicionamentos. Até fez algumas boas defesas, mas foi muito mais decisivo quando falhou.

João Pereira – 5,5

Deu velocidade nas subidas pelo lado direito do ataque e conseguiu segurar Zusi na medida do possível. Pecou, entretanto, também pelos espaços que deixava.

Ricardo Pereira – 6

Substituto de Pepe, marcou praticamente um gol ao salvar o chute de Bradley em cima da linha. Foi o mais seguro do setor ofensivo.

Bruno Alves – 4,5

Impressionante como não inspira confiança. Errou o tempo de bola várias vezes e deu bobeira no segundo gol americano, quando deu condições a Dempsey.

André Almeida – 4,5

Seria nulo em campo, não fosse o baile que estava tomando de Fabian Johnson. Acabou substituído no intervalo.

(William Carvalho) – 6

Deu muita força física ao meio-campo para brecar as subidas dos americanos pelo centro. No apoio, fez o básico, burocrático demais.

Miguel Veloso – 5,5

Atuou o primeiro tempo na sua, como volante, e foi discreto. Entrou como lateral esquerdo no segundo e apareceu bastante no apoio, embora as dificuldades na marcação tenham ficado evidentes.

Raúl Meireles – 5

Longe de ser tão efetivo na cabeça de área, apareceu pouco nas subidas ao ataque e teve apenas alguns lampejos. Acabou substituído para Paulo Bento reforçar o ataque.

(Silvestre Varela) – 6

Mal tocou na bola enquanto esteve em campo. Contudo, estava no lugar certo e na hora certa para anotar o gol da vitória.

João Moutinho – 5,5

Longe do melhor que pode ser, era o garçom ao lado de Cristiano Ronaldo. Como o craque não estava bem e Moutinho não foi além disso, se manteve apagado.

Nani – 7

Depois da atuação horrível na estreia, se recuperou. Marcou o primeiro gol, partiu em velocidade e também deu bons passes.

Hélder Postiga – sem nota

Machucou-se com 16 minutos de jogo, depois de receber a bola só quatro vezes.

(Éder) – 5,5

Deu gás ao ataque e correu muito. O problema é que se sobressaiu demais pelos erros. Quando conseguiu acertar, parou em Howard.

Cristiano Ronaldo – 6,5

Parece sina, mas as comparações com Messi seguem Cristiano Ronaldo na Copa. Assim como o argentino, não está 100% fisicamente e permanece longe de seu melhor. De qualquer forma, é decisivo. O segundo gol saiu a partir de um cruzamento perfeito e foi quem mais finalizou na equipe. Não teve, porém, suas arrancadas fulminantes.

ÁRBITRO

Néstor Pitana – 8

Conduziu o jogo muito bem, deixando a bola rolar e sendo preciso em todas as suas marcações.