COLÔMBIA

Ospina – 6

Poderia ter feito melhor no chute de Gervinho, mas no geral foi razoavelmente bem. Não comprometeu o time e fez algumas boas intervenções, como no final do jogo.

Zuñiga – 6

Esteve apagado na partida e errou alguns lances que tentou no campo de ataque. Teve algum trabalho na marcação, mas em geral manteve um bom nível defensivo, onde é mais criticado.

Zapata – 6

Pelo alto, não deu chances a Bony  no jogo. Por baixo, ganhou muitos lances e conseguiu ser um zagueiro firme, sem exagerar na força ou nas faltas.

Yepes – 6

Não comprometeu e conseguiu marcar os marfinenses, mas se esforçando muito. A sua lentidão é um problema quando se trata de jogadores rápidos como Gervinho, mas como o atacante em geral não caia por ali, se virou bem.

Armero – 6,5

Teve uma boa participação ofensiva no jogo, mas não conseguiu ter a efetividade do primeiro jogo. Mesmo assim, teve alguns lances perigosos no ataque, onde é mais perigoso.

(Arias) – 6

Entrou para cumprir mais um papel defensivo na lateral e foi o que fez com efetividade. Não apoiou muito, porque o time estava ganhando, e guardou mais a posição.

Aguilar – 6

Fez uma partida razoável no meio-campo. Tentou distribuir a bola, mas só conseguiu em passes curtos. Fez passes curtos, o que é o mínimo que se espera de um volante.

(Mejía) – 6

Manteve o nível do meio-campo de marcação colombiana. Ajudou a segurar a pressão marfinense.

Sánchez – 6

Foi um pouco melhor que Aguilar, mas também fazendo o arroz com feijão. Não fez nada muito além do mínimo que se espera de um jogador de marcação no meio-campo.

Cuadrado – 7,5

Efetivo, perigoso e habilidoso. Cuadrado foi um dos principais jogadores colombianos na partida, sendo frequentemente acionado para ataques perigosos. Foi uma arma ofensiva importante e deu velocidade e criatividade pelo lado direito do ataque,

James Rodríguez – 8

Um dos melhores jogadores da partida. É um dos principais jogadores na armação das jogadas, especialmente pelo meio. Com boa visão de jogo, fez o que se espera dele: criou situações de perigo. Acabou fazendo o gol de cabeça no segundo tempo.

Ibarbo – 5

Desempenho muito fraco, esteve apagado a maior parte do jogo. Não conseguiu dar boas opções para o time pelo lado esquerdo.

(Quintero) – 7

Com característica diferente de Ibarbo, deu mais força à criação de jogadas do time e foi uma opção ofensiva muito interessante. Em um contra-ataque puxado por Téo Gutiérrez, ele marcou o segundo gol, livre.

Teo Gutiérrez – 5

Perdeu um gol feito no primeiro tempo, depois de jogadaça de James Rodríguez. Deu o passe para o segundo gol, de Quintero, em um contra-ataque,

COSTA DO MARFIM

Barry – 5

Está longe de ser um jogador seguro. Não que os gols sejam culpa sua, mas poderia ter feito melhor no primeiro gol e passar um pouco mais de segurança nos lances.

Aurier – 6

Sofre um pouco por ali no primeiro tempo, onde a Colômbia criou boas chances. No segundo tempo, tornou-se uma ótima opção ofensiva, quando a Costa do Marfim tentava o empate.

Zokora – 5

Bateu como se não houvesse amanhã. Fez muitas faltas, foi excessivamente duro em alguns lances e recebeu um cartão amarelo, como de praxe, o que o suspende do próximo jogo.

Bamba – 6

Foi melhor que o companheiro de zaga, mas nada de excepcional também. Forte, conseguia ganhar pelo alto, o que é alguma coisa, mas não muito além disso.

Boka – 5,5

Fez alguns bons cruzamentos no primeiro tempo, mas no segundo submergiu na marcação. Pouco fez no ataque e, na defesa, também sofreu um pouco.

Tioté – 5

Firme na marcação, até um pouco violento, e chegou ao ataque algumas vezes no primeiro tempo. No segundo, ficou preso na marcação dos rápidos colombianos e não foi tão bem.

Die – 4

Perdeu uma bola crucial no meio-campo, que gerou o contra-ataque do segundo gol da Colômbia.

(Bolly) – 5

Quase não foi notado em campo. O problema de marcação no meio-campo continuou, mas a Colômbia atacou menos com o placar favorável e, por isso, Bolly nem teve trabalho assim.

Gradel – 6

Teve uma boa movimentação ofensiva, mas não conseguiu ir além disso. Foi razoável no ataque, deixando a responsabilidade para outros jogadores por ali.

(Kalou) – 5

Tentou algumas jogadas, mas foi pouco participativo. Não ajudou muito o time enquanto esteve em campo.

Yayá Touré – 7

Foi um dos melhores do fraco meio-campo marfinense. Sem muita criatividade por ali, ele é o meia ofensivo do time e tentou algumas jogadas, passes e chutes de longe. Conseguiu ser perigoso em alguns momentos.

Gervinho – 7,5

Trocou muito de posição e foi bem no ataque. No segundo tempo, fez uma jogada de craque pela esquerda, passando por três jogadores e acertou um bom chute, marcando um golaço.

Bony – 4

Foi mal no jogo. Tocou pouco nela e poucas vezes foi uma boa opção de passe. Em uma excelente chance que tece no segundo tempo, não sabia se chutava, dava um voleio ou cabeceava e errou a jogada estranha que tentou.

(Drogba) – 6

Sua entrada não mudou o jogo como no primeiro jogo. Criou preocupação para a zaga, claro, mas desta vez nem recebeu muito a bola, nem buscou tanto o jogo.