LEIA TAMBÉM: Costa Rica 1×1 Grécia (5×3 pen): Ticos resistem com um a menos e conquistam vaga inédita

COSTA RICA

Navas – 8

Fez defesas muito importantes durante o jogo, impedindo que a Costa Rica tomasse a virada no tempo normal e na prorrogação. Nos pênaltis, ainda pegou a cobrança de Gekas e garantiu a vaga.

Gamboa – 6,5

Foi uma arma importante nos avanços pelo lado direito. Apoiou bem, enquanto a Costa Rica teve pernas para jogar.

(Acosta) – 6

Entrou quando o time não tinha mais pernas, para segurar a pressão grega.

Duarte – 4

Sua expulsão, além de estúpida, prejudicou demais o time. Com um a menos, os costarriquenhos sofreram muito e ficaram pregados em campo para resistir à Grécia.

González – 6

Fez um bom jogo atuando pelo meio da zaga, conseguindo, na maioria dos lances, impedir as jogadas de bola aérea da Grécia.

Umaña – 6,5

Foi o melhor dos zagueiros da Costa Rica, com um bom desempenho pelo alto, além de ter feito desarmes importantes.

Díaz – 6

Foi menos presente ao ataque que Gamboa, mas também chegou ao ataque e fez a marcação, quando o time estava cansado em campo.

Ruiz – 7

Fez o gol e foi dos jogadores mais perigosos do time no jogo. Jogando da direita para o meio, tentou chutes de longe e foi importante enquanto teve pernas para jogar. Com o cansaço do time, também caiu.

Tejeda – 6

Fez alguns desarmes e ajudou a dar força ao meio-campo do time. Fez três desarmes durante o jogo.

(Cubero) – 5,5

Não conseguiu melhorar o setor, acabou vendo a Grécia crescer justamente com ele em campo.

Borges – 6

Foi regular durante o jogo, fazendo o seu papel no meio-campo dos Ticos. Cobrou bem na disputa de pênaltis.

Bolaños – 6,5

Foi perigoso em muitos lances pela ponta esquerda. Puxou ataques pelo seu lado, mas acabou se cansando no final.

(Brenes) – sem nota

Entrou já no final do jogo e não teve muito tempo para participar do jogo.

Campbell – 6

Foi perigoso em alguns lances, tentando jogadas, segurando a bola e criando chances, mas cansou rápido demais e conseguiu ajudar pouco no segundo tempo e na prorrogação.

GRÉCIA

Karnezis – 5,5

No gol da Costa Rica, ficou assistindo. Sequer pulou na bola. Não fez nenhuma defesa importante. Nem nos pênaltis, que não conseguiu defender nenhuma cobrança.

Torosidis – 6

Forte pela direita, conseguiu ser importante em alguns lances, mas não teve a mesma chegada que costuma ter. Fechou os espaços.

Manolas – 6,5

Foi novamente muito bem, embora tenha se precipitado em alguns lances e tomado um cartão por uma entrada muito dura.

Sokratis – 7

Fez o gol de empate, o que já é algo importante, mas também mostrou muito vigor física na marcação, em um jogo que exigiu muito do preparo atlético dos jogadores.

Holebas – 7

Foi a principal arma da Grécia pelos lados do campo. Fez uma ótima partida no apoio ao ataque, sua principal característica. Foi um dos que mais tocou na bola na partida, confiante que estava.

Maniatis – 5,5

Fez uma partida razoável, com alguns bons lances no meio-campo. Nada que mudasse muito o jogo.

(Katsouranis) – 6

Entrou no final do jogo para fazer mais pressão. Acabou sendo razoável no tempo que esteve em campo.

Samaris – 6

Foi melhor no primeiro tempo do que no segundo, tomou um cartão amarelo.

(Mitroglou) –  6

Entrou para fazer pressão no ataque. Ajudou a dar mais presença física ao time, mas não foi perigoso como pode ser.

Salpingidis – 5,5

Era para ser uma válvula de escape no lado direito, mas pouco fez por ali enquanto esteve em campo.

(Gekas) – 6

Entrou para dar mais poder de ataque ao time e conseguiu. Foi perigoso, participando inclusive do lance do gol. Acabou perdendo o pênalti decisivo na disputa de penalidades.

Karagounis – 7

Comandou a Grécia no meio-campo. Foi o jogador que mais fez desarmes em campo, seis, e foi muito importante nos passes, embora não estivesse muito bem nas bolas paradas, um dos seus fortes.

Lazaros – 7

Formou uma dupla perigosa com o lateral Holebas e foi o jogador que mais driblou, sete vezes. Causou problemas para o zagueiro Duarte, com um cartão amarelo que depois se somaria ao segundo e seria expulso.

Samaras – 7,5

No primeiro tempo fez pouco como centroavante, mas ajudou mais quando mudou de posicionamento no segundo tempo e foi importante. Fez o cruzamento para o gol e ajudou o time no momento de pressão, fazendo até o papel de criador de jogadas.

ÁRBITRO

Benjamin Williams – 6

Apareceu pouco no jogo, o que é excelente para um árbitro. O jogo não teve grandes problemas e ele também não se complicou.