Honduras

Valladares – 6,5

Fez algumas defesas muito boas, mas também falhou no primeiro gol e mostrou insegurança em outros lances. Então, o retrospecto é ligeiramente positivo.

Beckeles – 5

A Suíça teve muito espaço de seu lado.

Bernárdez – 4,5

Bateu cabeça demais, e ainda viu Shaqiri entrar nas suas costas o jogo inteiro.

Figueroa – 4,5

Lento, também não conseguiu conter os avanços suíços.

García – 6,5

O melhor da linha defensiva hondurenha. Nem tanto pela defesa, mas porque até criou algumas oportunidades pelo lado esquerdo do ataque.

Boniek García – 5,5

Não foi brilhante, mas apareceu bem no começo do segundo tempo, quando Honduras esteve perto do gol.

(Najar – sem nota)

Ficou pouco tempo em campo.

Claros – 5,5

Foi mal na marcação, como todo o meio-campo hondurenho, mas deu um pouco de saída de bola a sua equipe.

Wilson Palacios – 4,5

Constantemente atrasado na marcação, acabou sendo mais violento do que o necessário em algumas jogadas.

Espinoza – 5

Outro que estava abusando da violência. Acabou saindo no intervalo.

(Chávez – 5,5)

Não comprometeu tanto, aproveitando-se do fato de que a Suíça reduziu o ritmo no segundo tempo.

Costly – 5

Não conseguiu criar problemas para a defesa suíça, saiu ainda durante o primeiro tempo por lesão.

(Jerry Palacios – 5,5)

Apareceu bem, foi voluntarioso, mas errava os lances decisivos.

Bengtson – 6

Buscou bem espaço, apresentou-se às jogadas e levou bastante perigo. Mas poderia ter caprichado um pouco mais em algumas finalizações.

Suíça

Benaglio – 6,5

Honduras ensaiou uma pressão na primeira metade do segundo tempo, e Benaglio apareceu bem quando foi exigido.

Lichtsteiner – 5,5

Foi muito seguro no primeiro tempo, deu um pouco de espaço demais no segundo.

Djourou – 5,5

Alguns sustos, mas foi seguro no geral.

Schär – 6

Mais sólido e estável que o companheiro de zaga.

Rodríguez – 7

Forte na defesa, também criou algumas jogadas interessantes no ataque.

Behrami – 5,5

Foi cumpridor, mas poderia ter aparecido mais considerando a fraqueza do adversário.

Ínler – 7,5

O motor do meio-campo da Suíça, todas as jogadas saíam de seus pés.

Shaqiri – 8,5

Entendeu muito bem a dinâmica da partida. Abriu o marcador no começo e percebeu que a Suíça teria campo para o contra-ataque. Ajustou-se para sempre estar sempre bem posicionado nessas jogadas, fazendo mais dois gols e criando oportunidades para outros.

(Dzemaili – sem nota)

Ficou pouco tempo em campo.

Xhaka – 6

Fez uma partida decente, mas poderia ter brilhado mais considerando a forma como o jogo se desenhou em favor da Suíça.

(Lang – sem nota)

Ficou pouco tempo em campo.

Mehmedi – 6,5

Soube usar bem os espaços da defesa hondurenha para articular as jogadas.

Drmic – 7

Foi um grande parceiro de Shaqiri na partida.

(Seferovic – 6)

Mostrou boas jogadas, mas entrou quando o jogo já estava definido e o nível de intensidade da Suíça era reduzido.

Árbitro

Néston Pitana (Argentina) – 5,5

Não teve muitos problemas de marcação de jogadas, mas poderia ter sido mais duro disciplinarmente com Honduras.