Oliver Kahn demonstrou estar conformado em ser o reserva da seleção alemã na Copa. O goleiro do Bayern de Munique havia declarado na última sexta, quando Jürgen Klinsmann definiu que Jens Lehmann será o titular no Mundial, que pensaria a respeito do seu futuro no Nationalelf.

Antes da escolha do treinador, Kahn havia declarado que, caso não fosse o titular na Copa, poderia nem participar do torneio. Além disso, cogitaria a hipótese de abandonar a carreira na equipe nacional.

“Cheguei à conclusão de que é importante para a seleção que eu esteja lá, apesar da minha decepção. Isto não ode ser vaidade pessoal. Klinsmann tomou a decisão dele e eu aceitei. A equipe, incluindo Lehmann, terá meu total apoio”, afirmou Kahn, em entrevista coletiva nesta segunda em Munique.

A polêmica sobre a demora na definição entre o jogador do Arsenal e Oliver Kahn foi motivo de críticas ao treinador da seleção. Klinsmann fez um revezamento entre os dois goleiros para os últimos jogos da Alemanha e adiou ao máximo a decisão pelo titular na Copa. Kahn foi o goleiro titular e capitão da equipe na Copa de 2002.