´´Se não vencermos o Nuremberg, a demissão do técnico Michael Henke será inevitável´´. A declaração do presidente do Kaiserslautern, René Jaeggi, duas semanas atrás, confirmou-se neste sábado. O que não se esperava é que o próprio Jaeggi também pedisse demissão de seu cargo.

Michael Henke assumiu o Kaiserslautern no começo da temporada. Mas em nenhum momento conseguiu fazer a equipe engrenar. Em 13 partidas disputadas, conseguiu apenas duas vitórias e três empates. Com a derrota para o Nuremberg, o Lautern caiu para a lanterna do Campeonato Alemão, tornando a demissão inevitável. Henke é o quarto técnico a perder o emprego nesta temporada na Alemanha.

Pouco após a saída do treinador, o presidente Jaeggi também deixou o clube. O suíço vinha tendo problemas com o resto da diretoria e já havia perdido a confiança do conselho administrativo do clube. Com a demissão do técnico, a situação do presidente tornou-se insustentável. ´´Neste ambiente, não tenho como procurar um novo técnico. Agora, todas as forças devem se unir pelo bem do Kaiserslautern´´, disse Jaeggi, ao anunciar sua demissão.