A relação de Kaká com a MLS sempre foi de um flerte que as duas partes não escondem. Só que agora parece que a coisa ficou séria. Em entrevista ao jornal Corriere della Sera, o brasileiro admitiu que tem interesse em jogar na liga norte-americana e, mais do que isso, vai avaliar ao final da temporada se fará isso ainda em 2014. O interesse do Orlando City sempre foi falado, até pelas boas relações de Kaká com o dono do clube, Flávio Augusto da Silva. As declarações do jogador abrem a possibilidade de uma transferência no meio do ano, mas há alguns problemas a se resolver.

“Um dia, eu gostaria de jogar nos Estados Unidos”, admitiu Kaká na entrevista ao jornal italiano. “Vamos ver. Ao final da temporada, eu irei conversar com Galliani [vice-presidente do Milan e homem forte do futebol do clube]. Não apenas para falar sobre bônus e dinheiro – dinheiro não é o principal para mim agora, e eu acho que isso está claro. Eu quero ver quais são suas ideias e quais as ideias do clube”, explicou o brasileiro. “Se eu tiver que me transferir, eu irei escolher a MLS”.

Depois de se destacar na vitória por 3 a 0 do Milan sobre o Chievo, Kaká minimizou os comentários. “Eu estou feliz aqui no Milan”, disse o jogador à Sky Sports após o jogo. “Toda vez que eu estou aqui no Milan as pessoas insistem em falar sobre o meu futuro”, completou. Adriano Galliani foi outro a falar sobre a questão e confirmou que existe uma cláusula que permite Kaká sair ao final da atual temporada. “É muito simples. Kaká tem contrato até 30 de junho de 2015, mas se não nos classificarmos para a Liga dos Campeões, há uma cláusula que permite que ele saia. Nós iremos conversar sobre isso, mas eu acredito firmemente que ele irá continuar”, afirmou o dirigente. O Milan está muito longe da disputa por vaga na Liga dos Campeões e é seguro dizer que o time não jogará o principal torneio continental na próxima temporada, o que abre a possibilidade da saída do brasileiro.

Kaká chegou a visitar as instalações do Orlando City durante as férias (a foto do post é justamente dessa visita), o que, claro, gerou mais especulações sobre uma possível transferência do jogador para a MLS no futuro. A relação do jogador com Flávio Augusto da Silva é reconhecida pelo dono do Orlando City, que, porém, sempre foi cauteloso ao falar sobre isso. “Eu acredito que todo time gostaria de ter Kaká no time, o Orlando City também”, afirmou Flávio ao site mlssoccer.com em novembro. “Mas eu não posso falar de Kaká, porque Kaká está jogando muito bem pelo Milan. Kaká é um grande amigo meu. Nós já trabalhamos juntos com a minha empresa no Brasil. Mas por que não? A única coisa que eu posso dizer agora é que iremos contratar alguém muito, muito especial”.

A possibilidade aumenta com essa declaração de Kaká e também com o que disse o presidente do Orlando City, Phil Rawlins. “Nós tivemos conversas com Kaká”, afirmou o dirigente. “Ele é bastante conhecido no clube. Nós teremos que ver o que os próximos dois anos dão a ele, com a Copa do Mundo e o Milan, mas se ele quiser vir para cá, ele seria muito bem-vindo. Eu sei que ele ama a Flórida Central, sua família também. Veremos”, afirmou o presidente do Orlando. Mais do que isso, o presidente do clube escreveu em sua conta do Twitter: “Estamos prontos quando você estiver, Ricardo :)”

Só que há um problema. O Orlando City só começa a jogar a MLS em 2015. Nesta temporada, o time ainda está na USL Pro, uma liga menor dos Estados Unidos. Se Kaká viesse para o time no meio do ano, teria que jogar por seis meses em uma liga bastante inferior tecnicamente ao que está acostumado, sem a visibilidade da MLS. Isso sem falar na disparidade salarial que teria em relação aos jogadores da USL Pro, uma liga que é considerada de terceiro escalão no futebol dos Estados Unidos.

Pelo que vem jogando, abaixo do que já jogou um dia, mas ainda bastante importante para o Milan, é difícil imaginar que os rossoneri abram mão de um ídolo da torcida neste momento. Até porque a reação poderia ser forte demais. O contrato de Kaká vai até o final da temporada 2014/15. Essa parece ser uma data mais provável para uma possível saída do jogador do Milan. Só que há um  outro problema. Não haverá Liga dos Campeões a ser disputada, o que implica em uma diminuição enorme dos valores recebidos pelo time.

Pelos gols que fez contra o Chievo, Kaká mostrou que pode ser bem importante. Na próxima temporada, Kaká seria importante para ser um condutor da renovação, dando a experiência que o time precisará em um momento difícil. Mas para isso, o Milan tem que estar disposto a pagar o seu salário, € 4 milhões anuais. Se a ideia for cortar gastos, pode ser que Kaká não esteja nos planos. E aí o caminho fica aberto para uma transferência. Fica cada vez mais claro que Kaká deve ir para a MLS. A questão é saber quando.