O Milan conseguiu duas vitórias importantes nesta semana, na Liga dos Campeões e no Campeonato Italiano. Na competição europeia, venceu o Celtic fora de casa com alguma tranquilidade e neste domingo quebrou um jejum de cinco jogos sem vitória ao bater o Catania por 3 a 1. Nas duas partidas, um ponto comum: a boa atuação de Kaká, que retornou ao clube nesta temporada.

Na entrevista depois do jogo, Riccardo Montolivo, autor do primeiro gol do Milan na Sicília e capitão do time, ressaltou a importância de Kaká desde que o brasileiro voltou. Para o meio-campista da seleção italiana, o meia tem sido um fator importante que vai além dos seus gols. A sua presença tem feito diferença para o resto dos jogadores.

Neste domingo, o meia participou do primeiro gol ao tocar para Urby Emanuelson cruzar para Montolivo fazer o gol. Marcou o terceiro gol, em um lance arrancando pela direita. Aliás, esse é um aspecto importante no jogo de Kaká. Apesar de ter se consagrado como um meia que chega com muita força ao ataque, ele tem se mostrado versátil nessa volta ao Milan. Contra o Barcelona, atuou em uma linha de quatro aberta à esquerda. Mostrou que pode jogar pelos lados do campo quando necessário, além de jogar pelo meio.

Além de Kaká, é preciso destacar Mario Balotelli. Foi dele o segundo gol do time, em uma cobrança de falta com muita raiva, um chute forte, rasteiro, que surpreendeu o goleiro. Seu papel no esquema tático era de único atacante centralizado. É verdade que ele perdeu dois gols em chances claras, mas o seu desempenho foi importante.

Para que esse Milan tenha sucesso na temporada, será preciso que Montolivo, Kaká e Balotelli tenham um bom desempenho. São os jogadores que podem elevar o nível da equipe. Há bons candidatos a coadjuvantes de sucesso, como Antonio Nocerino, Stephan El Shaarawy – que voltou neste jogo contra o Catania – e até mesmo o sempre tão criticado Robinho, que não esteve em campo por contusão.

A vitória contra o Catania só tirou o jejum de gols, mas ainda está longe de ser suficiente para melhorar de fato a campanha. Com 17 pontos, o time é só o 11º colocado. Precisará vencer mais para conseguir subir na tabela e sair do péssimo início. Na Liga dos Campeões, a disputa pela segunda colocação no grupo contra o Ajax será dura. Será preciso manter a ascensão para não correr riscos.

O time do Milan está longe dos grandes esquadrões que conquistaram a Europa no final dos anos 1980 até o meio dos anos 1990. Não dá para esperar que esse Milan faça sequer o que o de 2007 fez. Mas o comprometimento mostrado pelos jogadores nos dois jogos desta semana e a organização do time mostram que o time tem o que é preciso para ter um desempenho melhor do que vem apresentando até aqui.