Kaká poderia estar na Copa do Mundo. Não fez uma temporada maravilhosa no Milan, mas foi uma figura-chave da equipe na temporada. O ano do clube rossonero não foi bom, mas mesmo assim Kaká foi especulado para integrar a Seleção Brasileira. Pelé acredita que ele, Ronaldinho ou Robinho deveriam estar na Copa do Mundo com a Seleção Brasileira. Não está mais no nível dos melhores jogadores do mundo, como esteve em 2007 ou mesmo 2010, quando era o principal jogador do Brasil na Copa do Mundo, mas mesmo assim é visto como alguém que daria referência técnica e de liderança em um elenco com jogadores de frente jovens. Aos 32 anos, ele escolheu deixar o Milan e ir para o Orlando City em 2015, com escala no Brasil até o fim do ano. A transferência gera, no mínimo, muita repercussão, o que é ótimo para a MLS.

LEIA TAMBÉM: ESPN e Fox Sports se unem para enfraquecer concorrente… nos EUA

O fato de um jogador de 32 anos, ainda capaz de jogar em bom nível, escolher os Estados Unidos é um bom sinal para a liga. Ainda tímido, mas já importante, como foi também com o acerto de David Villa com o New York City FC – o espanhol irá jogar na Austrália até o fim do ano. O Orlando City terá Kaká como sua estrela na estreia do time na MLS, em 2015, o que, por si, deve atrair muita atenção à equipe, sediada em uma cidade que atrai muitos brasileiros. É o time da Disney, dos sonhos. E começa com o jogador dos sonhos para o Orlando. Nesta temporada o time ainda joga a USL Pro, a terceira liga em importância no país, mas já tem o seu primeiro jogador designado, que pode ganhar um salário acima do teto salarial na MLS. Cada time pode ter três jogadores como esse.

“Eu acho que esse é o momento certo porque eu não estou muito velho e nem muito novo. Eu tenho experiência para trazer coisas à liga”, ele disse. “A MLS tem um grande, grande futuro no futebol. Esse projeto do Orlando City é muito sério, eu estou muito feliz por fazer parte deste projeto”, afirmou o jogador. “A MLS está dando grandes, grandes passos”, afirmou ainda Kaká. “Eu não estou aqui para me aposentar, estou aqui para vencer”. É difícil duvidar do desejo de Kaká, com o histórico e a carreira que tem.

A MLS ainda está longe de ser uma das melhores ligas do mundo. Dentro dos times, há uma diferença técnica muito grande entre os jogadores de melhor nível e os de pior. Ao mesmo tempo que há jogadores muito bons, como Tim Cahill e Thierry Henry, no New York Red Bulls, há outros que tem baixo nível técnico que criam hiatos e deixam a liga com uma deficiência técnica. Talvez a chegada de mais jogadores de nível, não só as estrelas como Kaká, mas também os jogadores de nível médio. E segundo Kaká declarou, os jogadores falam na Europa sobre ir para os Estados Unidos.

“Na Europa, os jogadores falaram muito em vir jogar nos Estados Unidos”, ele disse. “Então eu acho que os jogadores europeus começam a pensar em vir jogar nos Estados Unidos não no fim da sua carreira… Muitos jogadores podem chegar nos próximos anos, em um alto nível, para jogar na MLS”, declarou Kaká.

O meia assinou com o Orlando City, onde se apresentará no dia 1º de janeiro de 2015 para estrear na temporada americana, que se inicia em março. Até lá, ele voltará a vestir as cores do São Paulo, clube que o formou. Aqui no Brasil, mostrará qual é o nível de futebol que levará para os Estados Unidos.

O que mostrou nos últimos meses no Milan é que não é mais o jogador que chegou a ser o melhor do mundo, mas ainda é uma referência técnica e um líder. Algo que pode ser importante no São Paulo nesses seis meses e que talvez fosse importante também na Seleção de Felipão. E que será muito importante no Orlando City. Talvez Kaká seja o sucessor de Beckham no sentido de atrair mais atenção e mais jogadores para a MLS.

VOCÊ PODE SE INTERESSAR TAMBÉM:

- Guia da temporada 2014 da MLS

- Americanos têm motivos para se empolgar com Beckham sendo dono de time da MLS

- Chivas USA era um fracasso e a MLS fez bem em se livrar dele