Enquanto a Itália celebrava a vitória sobre a Alemanha, Jürgen Klinsmann procurava encontrar uma explicação para a derrota por 4 a 1. O treinador até preferiu ser derrotado desta maneira agora, como um alerta para a reta final de preparação da equipe para a Copa.

“Há momentos em que as coisas caminham pela direção errada e nesta noite foi assim. Obviamente ficamos decepcionados, mas é melhor que tenha acontecido agora do que durante o Mundial. Não estamos preocupados. Estamos a cem dias do início da Copa e teremos duas semanas e meia antes para solucionar todos estes problemas táticos e técnicos”, afirmou o treinador.

Klinsmann apontou os erros de passe e os gols logo no início como principais motivos da derrota. “Este é um time jovem, com talento, mas faltou um pouco de experiência. Erramos muito e perdemos muitas bolas. Levamos dois gols e infelizmente não conseguimos reagir. Não colocamos a Itália sob pressão. Meus cumprimentos ao Lippi e à Itália. Eles nos deram uma aula de futebol”, reconheceu.

A imprensa alemã não poupou críticas ao desempenho do Nationalelf. O jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung estampou a manchete “1-4: A Alemanha se tornou um anão no futebol”. O diário criticou a ausência de Christian Wörns na zaga: “Os quatro defensores jogaram tão mal que Wörns, ausente, foi o único alemão vencedor da partida”.

Já o popular Bild foi mais irônico em sua capa: “Mamma mia, fomos mal!”. Na avaliação dos jogadores, o diário colocou em todos o comentário de que “não merece o salário”.