Roberto Firmino faz uma excelente temporada pelo Liverpool e, ainda assim, foi substituído na maioria das 42 partidas que disputou. A explicação foi dada pelo técnico Jürgen Klopp, depois da goleada por 5 a 0 sobre o Watford, no último fim de semana: é a única maneira de fazer o brasileiro parar de correr.

LEIA MAIS: A cada gol de Salah, gigante da telefonia no Egito dará 11 minutos de tarifas grátis

O assunto surgiu em relação à postura de outro atacante do Liverpool. Mohamed Salah, por todos os gols que tem feito na temporada, ainda precisa ser lembrado de vez em quando que também possui responsabilidades defensivas. Firmino, ao contrário, não para nunca.

“Se falarmos sobre Roberto, ele ama correr naquela direção (para trás) e perseguir os jogadores. Se eu disser ‘pare’, ele não conseguiria. É por isso que eu o substitui porque ele nunca descansa. Ele corre o tempo inteiro”, explicou.

Klopp não quer dizer que Salah é preguiçoso ou não contribui para o funcionamento coletivo da equipe. É uma questão de instinto. E Salah, inegavelmente, ajuda bastante na frente. “Mo também não parou de correr (contra o Watford), mas na outra direção. Ele deu cada pique como se fosse a final dos 100 metros rasos na Olimpíada. É isso que quero dizer: o time se adapta às suas forças. Ninguém está dizendo ‘Mo, você precisa…’. No momento, ninguém está dizendo nada a Salah além de ‘continue fazendo o que você está fazendo'”, afirmou.

E com razão. Salah chegou a 36 gols na temporada, 28 na Premier League. Números que surpreendem Klopp, mas que ainda não são o bastante. “Ele jogou mais pela ponta na Roma, que tinha um centroavante muito dominante em Edin Dzeko. Ninguém sabia (que ele poderia jogar mais centralizado). Aprendemos passo a passo. Não sabíamos exatamente o que ele era capaz de fazer pelo meio”, disse.

“Mas não vamos lidar com ele dizendo: ‘Você não precisa treinar, Mo, apensa apareça no sábado, nos vemos em Anfield, ou algo assim’. Ele não quer isso. Ele está no grande momento da sua carreira, mas sabe que ainda tem muito pela frente. Ele quer aprender e quer melhorar”, concluiu.