Mesmo com a condição de favorito do Barcelona, o Benfica conseguiu segurar o time catalão em Lisboa nesta terça, no duelo de ida das quartas-de-final da Liga dos Campeões. O Barça manteve a tranqüilidade e comemorou o empate sem gols fora de casa. A equipe encarnada também demonstrou estar confiante para a partida de volta na Espanha.

Ronald Koeman admitiu que o Barcelona teve mais chances para marcar na partida, mas mesmo assim não se desanimou para o confronto de volta. “Já sabíamos que o Barcelona tem uma grande equipe e criou muitas ocasiões, principalmente na primeira parte, na qual mostramos alguma intranqüilidade. No segundo tempo, melhoramos e criamos algumas oportunidades, mas no geral o Barcelona esteve melhor, mas não marcou. Antes desta partida, o Barcelona era claro favorito; no Camp Nou, vamos sofrer um pouco mais, mas ainda faltam 90 minutos”, analisou o técnico.

Marcelo Moretto quase complicou a situação do Benfica ao cometer duas falhas em bolas recuadas. O goleiro, que teve uma boa atuação, culpou o campo pelos erros. “No gol no qual defendi no primeiro tempo, a grama estava muito irregular e as duas bolas recuadas saltaram. Não tinha nervosismo algum e até estava tranqüilo. Infelizmente não conseguimos o gol, que era o nosso objetivo, mas está tudo em aberto e vamos tentar marcar na segunda partida”, comentou.

Frank Rijkaard gostou do resultado em Lisboa, apesar do grande número de finalizações desperdiçadas pelo Barça. “Infelizmente não pudemos marcar a diferença com um gol, mas um empate fora de casa é um bom resultado. Foi uma pena, porque tivemos ocasiões. Mas em alguns momentos o Benfica foi perigoso e creio que, no geral, não podemos nos queixar das ocasiões em que não marcamos. A equipe deixou uma boa impressão e, tendo em conta os desfalques, é preciso parabenizar o time”, disse o treinador, referindo-se às ausências de Edmílson, Rafa Márquez e Puyol.

Thiago Motta preferiu se defender e afirmou que não tocou na bola com o braço dentro da área, em um polêmico lance no segundo tempo. “Vê-se claramente que não foi pênalti, pois tentei tirar o braço e não deu tempo. Acho que o árbitro foi bem ao não marcar. Foi um daqueles dias no qual a bola não quis entrar. Mas não devemos nos lamentar, porque temos todas as condições de passar de fase”, avaliou.