Não poderia haver uma data mais especial. Na semana em que Paysandu e Santa Cruz comemoram o centenário, retomamos nossa seção para falar sobre o futebol de um Brasil profundo, que vai muito além dos clubes de elite. O ‘Brasil além da Série A’ agora vira ‘Lado B, de Brasil’, mas a essência continua a mesma: tratar de competições, jogadores e clubes que quase sempre são deixados de lado pela ‘grande mídia’, ofuscados pelos ‘grandes clubes’. Mas que, mesmo sem tanta repercussão, não deixam de ser grandiosos – especialmente por suas histórias. E não faltaram bons episódios para destacar no último final de semana. Além das festas de Paysandu e Santa, também rolou clássico em Pernambuco. Alguns medalhões meio sumidos, que aproveitaram os Estaduais para reaparecer. Ou mesmo filhos de veteranos que prometem se aproximar do sucesso do pai. E até a reencarnação do Íbis, que resolver dar suas caras – e, claro, fazer papelão – no Piauí. Confira:

Papão e Santa, os dois grandes aniversariantes

O final de semana foi de comemoração para dois gigantes. Paysandu e Santa Cruz podem não estar sempre na elite, mas a mobilização que ambos têm junto às massas torna isso muitas vezes mero detalhe. O Papão comemorou 100 anos no domingo, com goleada por 6 a 0 sobre o São Francisco, pelo Campeonato Paraense. Já o Santinha entrou em campo na véspera de completar seu centenário pela Copa do Nordeste e não deixou por menos, batendo o Bahia por 2 a 1 – apesar das reclamações dos baianos com a arbitragem. E nem é preciso dizer que as festas no Mangueirão e no Lacerdão reuniram milhares de fanáticos. Nada mais digno para celebrar duas trajetórias tão ricas, e tão importantes para o futebol brasileiro.

Copa do Nordeste segue como grande sucesso de público

A Copa do Nordeste é um campeonato regional sem igual no Brasil. Mantém rivalidades fortes, possui bom nível técnico e, sobretudo, costuma lotar as arquibancadas. E as médias de público registradas em janeiro apenas enfatizam esse sucesso. Segundo levantamento feito pelo site Sr. Goool, a primeira fase da Copa do Nordeste levou aos estádios quase 150 mil torcedores, média de 5.333 pagantes por partida. Um número que está longe de ser satisfatório em uma visão global, mas que dá uma surra na realidade dos estaduais. Logo atrás da ‘Lampions League’, aparecem o Paulista (4.460) e o Pernambucano (4.152). O Carioca é apenas o sétimo torneio com maior média em 2014 (2.507), enquanto o Gaúcho é o 11º (1.343). O Capixaba, último da lista, só levou 433 espectadores por jogo.

Náutico e Sport, o duelo íntimo do Nordestão

sport Sport e Náutico tiveram o ‘azar’ de serem sorteados no mesmo grupo da Copa do Nordeste. E, considerando o desempenho não mais do que razoável da dupla, um dos grandes de Pernambuco pode cair fora logo na primeira fase pelas mãos do rival. No primeiro encontro, vitória do Timbu por 1 a 0. Agora, foi a vez do Leão dar o troco, de maneira categórica: 3 a 0 na Arena Pernambuco, com direito até a gol de Érico Júnior, o Pelezinho, promessa da base rubro-negra. Depois do jogo, deu até para Neto Baiano provocar os alvirrubros, dizendo que ‘um time de Série A sempre vence um de Série B’. Mas, considerando que o Náutico tem um jogo a menos na tabela, é exatamente o clube da B quem pode rir por último.

Rivaldinho estreia já seguindo os passos do pai

Rivaldo continua sendo o poderoso chefão do Mogi Mirim. O que não significa que seu filho só apareça no time titular do Sapão por ter as costas quentes. Muito pelo contrário. Rivaldinho foi destaque nas boas campanhas do clube nas categorias de base e tinha grandes expectativas sobre sua estreia como profissional. Apesar da derrota para o Penapolense, o garoto cumpriu o esperado: marcou um gol logo de cara, o de honra no tropeço por 2 a 1. A concorrência de Rivaldinho é dura, já que Fernando Baiano foi o principal reforço para o ataque. E o prodígio talvez ainda precise disputar posição com o próprio pai, que se recupera de lesão no joelho.

Carlinhos Bala mostra que é mesmo o craque do Amazonense

O vigor físico não é o mesmo de seus melhores tempos. Ainda assim, Carlinhos Bala chegou ao Fast Club como grande esperança de que o time encerre o jejum de 42 anos sem conquistar o Campeonato Amazonense. E, pelo menos em sua estreia, o atacante tratou de empolgar ainda mais a torcida, ao comandar a goleada sobre o Sul América. O veterano marcou dois gols na vitória por 6 a 2. Com o lendário Aderbal Lana no banco de reservas, o Fast quer de justificar o apelido ‘Rolo Compressor’ nesse estadual.

Os medalhões dão conta do recado no Catarinense

Os Estaduais são um refugio para muitos veteranos. Porém, em nenhum outro lugar eles vêm se dando tão bem quanto em Santa Catarina. A rodada do final de semana contou com a estreia de Marcos Assunção pelo Figueirense. E o volante chegou já marcando um golaço de falta, na vitória por 3 a 2 sobre o Metropolitano. Já no Criciúma, Paulo Baier foi quem decidiu a peleja contra o Brusque, marcando de pênalti o gol no triunfo por 1 a 0. Por outro lado, o Avaí foi quem sofreu com um medalhão. Marquinhos deixou Betinho cobrar (e perder) um penal contra o Marcílio Dias. Custou caro.  Schwenck foi o carrasco e transformou a derrota por 2 a 0 em vitória por 3 a 2 do Marinheiro, balançando as redes duas vezes.

O Piauí tem um forte candidato a desbancar o Íbis

A maior derrota da elite dos estaduais em 2014, por enquanto, foi sofrida pelo Caiçara. O River enfiou 7 a 0 sobre os adversários no Campeonato Piauiense, com três desses tentos anotados pelo atacante Marciano. Mais um feito para inflar o ‘orgulho’ da torcida do Caiçara. O clube não vence há QUASE SEIS ANOS! São 32 partidas seguidas apanhando, 27 derrotas e cinco empates, que já fazem o clube pleitear o lugar do Íbis no Livro dos Recordes como pior time do mundo. Para ser condecorado, o Íbis precisou de ‘apenas’ 23 jogos sem vencer nos anos 1970.

Guarani tira a zica e vence a primeira em seis meses

O Guarani tinha 27 de julho como uma chaga. Foi exatamente neste dia que os bugrinos haviam conquistado sua última vitória, batendo o Caxias pela Série C. Desde então, a equipe só derrapou, perdendo embalo na tentativa de subir à segunda divisão nacional e também começando por baixo a Série A2 do Paulista. A redenção só veio neste domingo, em uma virada épica no Estádio Stravos Papadopoulos – sim, ainda estamos no Brasil, mais especificamente em Jacareí. Com um gol aos 40 do segundo tempo e outro nos acréscimos, o Guarani bateu o São José por 2 a 1. Aliás, mais um vexame da Águia do Vale, que perdeu seus três primeiros jogos e segura a lanterna na segundona estadual.

Cenas lamentáveis em Goiânia

Os Estaduais podem não ter o apelo das competições nacionais, mas não é isso que diminui a violência que, infelizmente, se tornou corriqueira nos estádios. Neste domingo, foi divulgado um vídeo que mostra um torcedor do Vila Nova sendo espancado por policiais militares dentro de um banheiro do Estádio Serra Dourada, durante o clássico contra o Atlético Goianiense. As cenas teriam sido sequência de uma briga que ocorreu depois do jogo, entre duas torcidas organizadas diferentes do Vila. A PM já abriu processo investigativo para apurar o caso.

Villa Nova vence com gol do ‘novo Cafu’

Um dia Mancini já foi chamado de ‘il nuovo Cafu’. Mas, ao contrário do capitão do penta, o fim de carreira do veterano tem sido bem distante dos holofotes. O ex-lateral atualmente joga com a camisa 10 e disputa o Campeonato Mineiro, pelo Villa Nova. Mas pelo menos sua nova torcida não pode reclamar do medalhão. Mancini foi decisivo na vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, anotando um gol aos 44 do segundo tempo. Cafu fazia isso?