No primeiro tempo da partida de ida que fizeram pelas quartas de final da Liga Europa, Lazio e Red Bull Salzburg tiveram mais equilíbrio do que emoções. A coisa mudou no segundo tempo, com mais gols. E quando parecia que o empate seria o resultado a ser levado para o jogo na Áustria, os laziale se valeram de sua ofensividade, para fazerem o 4 a 2 que rendeu importante vantagem na volta da próxima semana.

Na etapa inicial, já aos oito minutos o time romano se valeu da pressão para abrir o placar. Dusan Basta cruzou da direita, e Ciro Immobile falhou na finalização, chutando em cima de André Ramalho. Só que o zagueiro brasileiro cometeu assim um “corta-luz involuntário”, e a bola ficou à feição para Senad Lulic completar e fazer 1 a 0. Porém, um pênalti duvidoso recolocou os visitantes da Áustria no jogo, aos 31 minutos: Munas Dabbur caiu na área após disputar a bola no ar com Basta, e o juiz Ovidiu Hategan mandou o jogo seguir a princípio. Só que foi chamado por um auxiliar, ouviu e se decidiu pelo penal. As reclamações chegaram ao ponto de Basta levar o amarelo, mas não adiantou: Valon Berisha cobrou e fez 1 a 1.

O primeiro tempo de menos emoções foi eclipsado pelo ritmo acelerado da etapa complementar. Que por sinal, já começou com um belíssimo gol de Marco Parolo, aos quatro minutos: Lulic deixou a Luis Alberto, o espanhol cruzou da direita, e o meio-campista italiano completou de calcanhar, na saída do goleiro Alexander Walke, para recolocar a Lazio na frente. Mereceria destaque, se o placar ficasse nisso. Mas o Red Bull Salzburg falou grosso de novo: aos 26, Dabbur deixou a bola para Takumi Minamino, havia apenas um minuto em campo, tocar com classe e igualar de novo o placar.

A essa altura do jogo, já estava em campo Felipe Anderson, entrado aos 20 minutos no lugar de Luis Alberto. E o brasileiro tomou a frente com outro bonito gol, aos 29, para o 3 a 2 laziale: recebeu de Stefan Milinkovic-Savic, driblou três, chegou à área e chutou à queima-roupa para as redes. E só para aliviar de vez a equipe, Immobile ajeitou a bola, vinda do passe de Lucas Leiva, e tocou na saída de Walke para o 4 a 2 – comemorado com enfático abraço em Simone Inzaghi, completando 42 anos nesta quinta. Um bom presente veio com a difícil vitória