O racismo é uma imbecilidade que não tem fronteiras no futebol. E, neste final de semana, um novo caso de intolerância foi registrado no Campeonato Mexicano. Durante a partida entre León e Cruz Azul, no Nou Camp, torcedores visitantes começaram a insultar os jogadores negros da equipe adversária. Mas, desta vez, ambos os clubes tiveram posturas exemplares para lidar com o incidente.

Os ultras da torcida Sangre Azul começaram a imitar macacos sempre que o jogador Eisner Loboa, do León, tocava na bola. Então, as autoridades locais e o comissário da Liga MX foram até o setor onde estavam os agressores e tiraram do estádio os três responsáveis por puxar o coro. Após a atitude, os gritos pararam. Além disso, foi feito um boletim de ocorrência na central da polícia que controlava o Nou Camp, enviado também à organização do campeonato mexicano para que se tome as medidas cabíveis.

E se o León não tolerou o racismo, o Cruz Azul saiu-se ainda melhor da cena. Ao invés de ignorar seus torcedores ou de adotar uma posição pasteurizada, como é comum de se ver, o clube da capital preferiu se posicionar agressivamente contra os punidos. “Reprovamos o comportamento racista dos pseudo torcedores na partida contra o León”, publicou o clube em seu Twitter e em seu Facebook, juntamente com a imagem que abre o post. Agora, é esperar por uma postura igualmente exemplar das autoridades mexicanas – banindo os agressores dos estádios e implicando criminalmente.