Itália e Coreia do Sul foi um belo jogo de futebol (Foto: AP)

Listamos os 10 melhores jogos esquecidos da Copa do Mundo

Nunca sabemos qual será aquele jogo que vai marcar a infância do apaixonado por futebol. Geralmente, é uma decisão ou um encontro entre grandes seleções, mas os maiores fãs de Copa do Mundo lembram-se também daquela partida clandestina, secundária, escondida que tocou os seus corações, seja pela quantidade de gols, pelo nervosismo ou pela história contada dentro de campo.

>>>> Quais foram os maiores técnicos da história das Copas?
>>> Quem foram os 10 maiores goleiros da história das Copas
>>> De Beckenbauer a Cafu, os 10 maiores defensores das Copas
>>> Liderados por Maradona, os 10 melhores meio-campistas das Copas
>>> Pelé e mais nove: os 10 melhores atacantes das Copas

Listamos os dez melhores jogos de Copa do Mundo que pouca gente lembra. Partidas emocionantes, movimentadas e históricas que nem sempre estão nas listas de melhores encontros em mundiais. Como nas nossas outras listas, você provavelmente vai lembrar de um jogaço que não foi listado e vai nos cornetar. Por favor, não se acanhe: queremos que faça exatamente isso.

2002: Senegal 3 x 3 Uruguai

Terceira rodada
Estádio Suwon World Cup, em Suwon (COR)

Senegal já havia deixado a sua marca na Copa do Mundo de 2002 com a vitória sobre a França e estava ansioso para mostrar as suas garras a outro campeão do mundo. Enfrentou o Uruguai precisando apenas de um empate para passar às oitavas de final e conseguiu muito mais do que isso no primeiro tempo. Fabián Carini cometeu pênalti, aos 20 minutos, e Khalilou Fadiga abriu o placar. Boupa Diop, duas vezes, mandou os comandados de Victor Púa para os vestiários com a cabeça quente.

No segundo tempo, os uruguaios decidiram mostrar aos adversários o peso daquela camisa celeste, o sangue que corre nas suas veias e a força de vontade que os impede de desistir. No primeiro minuto, Morales descontou. Diego Forlán pegou um rebote da entrada área e acertou o ângulo, de primeira. De pênalti, Recoba empatou a dois minutos do fim.

No último ato do espetáculo, Gustavo Varela emendou uma cobrança de lateral de intermediária. A bola foi cortada pelo zagueiro porque o goleiro Tony Sylva, sabe-se lá por quê, foi para o meio da área tentar cortar o lançamento. O rebote caiu na cabeça de Morales, livre, a poucos metros da linha de meta. Bola para fora, e o Uruguai também.

1954: Uruguai 2 x 4 Hungria

Semifinal
Estádio Olímpico de La Pontaise, Lausanne (SUI)

As duas principais estrelas estavam machucadas, mas nem as ausências de Puskás e Obdulio Varela impediram que a semifinal da Copa do Mundo de 1954 fosse inesquecível. Porque colocou frente a frente o atual campeão, invicto em mundiais desde o fim da Segunda Guerra, e um dos maiores times que o futebol já teve.

Aquela Hungria tinha o hábito desagradável (para os adversários) de sempre marcar um gol no começo do jogo, e desta vez não foi diferente: Cizbor abriu o placar aos 13 minutos. No começo da etapa final, Hidegkuti apareceu na segunda trave para ampliar. Mas já falamos sobre como os uruguaios simplesmente se recusam a desistir. Juan Hohberg emendou dois gols no quarto derradeiro do jogo e tivemos prorrogação. Nela, brilhou a estrela de Kocsis, autor dos dois gols que levaram os húngaros à decisão.

1954: Áustria 7 x 5 Suíça

Quartas de final
Estádio Olímpico de la Pontaise, Lausanne (SUI)

Embora já fosse famosa por usar um ferrolho defensivo, a Suíça não apresentou jogos travados para a sua torcida. A dona da casa goleou a Itália, perdeu por 2 a 0 para a Inglaterra e participou do jogo mais gols da história das Copas do Mundo. Encontrou a Áustria nas quartas de final e foi implacável: três a zero em 20 minutos, gols de Robert Ballaman e dois de Sepp Huegi. Mas o goleiro Eugene Parlier não estava tão ligado quanto o restante dos seus companheiros e falhou nos três gols de empate, um por minuto, entre os 25 e os 27, de Theodor Wagner (2) e Alfred Koerner.

Empenhados na missão de cansar o rapaz que trocava os números do placar, Ernst Orcwik e Koerner, novamente, viraram a partida para a Áustria ainda no primeiro tempo. Também antes do intervalo, Ballaman descontou e não poderia haver entretenimento melhor em Lausanne naquele dia do que essa chuva de gols. E vinha mais pela frente: Wagner ampliou para os austríacos, Huegi descontou e Erich Probst deu números finais à loucura: 7 a 5 para os visitantes. Nunca mais vamos ver a Suíça sofrer tantos gols. E nem a Áustria nas semifinais de uma Copa do Mundo.

1938: Brasil 6 x 5 Polônia

Primeira rodada
Estádio Meinau, em Estrasburgo (FRA)

Leônidas da Silva foi um dos maiores craques do futebol no pré-Guerra e artilheiro da Copa do Mundo de 1938. E ele mostrou as credenciais logo na primeira partida do torneio francês, em uma eletrizante partida contra a Polônia. Abriu o placar aos 18 minutos, mas Fryedryk Szerfke empatou, de pênalti. Romeu e Peracio voltaram a deixar o Brasil na frente, e a vitória dos sul-americanos parecia anunciada.

Não foi o que aconteceu. Começou a chover, e a lenda conta que os brasileiros não sabiam lidar bem com o campo molhado e pesado. O fato mostra que Ernest Wilimowski deu um show e marcou três vezes, anulando o gol de Peracio, que daria a vitória ao Brasil, no último minuto do tempo regulamentar. E eis que na prorrogação, o Diamante Negro voltou a brilhar e decidiu o jogo com dois tentos. Ainda deu tempo de Wilimowski fazer mais um.

1982: Alemanha 3 x 3 França

Semifinal
Estádio Ramon Sánchez, em Sevilha (ESP)

A França tinha todos os requisitos para vencer a Alemanha. Estava em melhor fase, havia feito uma campanha melhor até as semifinais e tinha um craque: Michel Platini. Mas como é difícil ganhar dos alemães em Copas do Mundo! O tempo regulamentar terminou em 1 a 1, gol de Platini de pênalti, e Pierre Littbarski que, apesar do nome, era alemão mesmo. Na prorrogação, Marius Tresor e Alain Giresse abriram 3 a 1 e um final entre França e Itália se desenhava. Só que Karl-Heinz Rummenigge, no banco por causa de uma lesão, entrou em campo para mudar a história do jogo. Marcou um gol e incomodou demais a defesa adversária. Klaus Fischer levou para os pênaltis. Nas cobranças, a Alemanha saiu atrás, mas o bom goleiro Harald Schumacher defendeu dois chutes dos franceses.

2010: Eslováquia 3 x 2 Itália

Terceira rodada
Ellis Park, em Johanesburgo (AFS)

Todos amamos Copa do Mundo, mas a Itália é apaixonada por Copa do Mundo com drama. Seja a favor ou contra. Em 2010 não foi diferente. Chegou à última rodada de uma fase de grupos medíocre precisando ao menos empatar com a Eslováquia para ter uma chance de passar às oitavas de final. Não só não conseguiu como sempre esteve atrás do placar. Começou com uma saída de jogo errada de De Rossi que caiu nos pés de Robert Vittek, que depois ainda faria o segundo da Eslováquia aos 28 minutos do segundo tempo. Parecia tudo perdido para a Itália quando Antonio Di Natale descontou e reanimou os companheiros, mas, aos 44, Kamil Kopunek aproveitou uma saída meio estranha do goleiro Federico Marchetti e fez o terceiro. Ainda houve tempo para um golaço por cobertura de Fabio Quagliarella, mas era tarde demais. Vexame azzurro.

1990: Alemanha Ocidental 2 x 1 Holanda

Oitavas de final
Estádio San Siro, em Milão

Um desavisado daltônico entraria no San Siro e pensaria que acabara de entrar em um clássico de Milão. Porque de um lado estava a Alemanha Ocidental, do trio de jogadores da Internazionale, Jurgën Klinsmann, Andreas Brehme e Lothar Matthäus, e do outro os holandeses do Milan: Ruud Gullit, Frank Rijkaard e Marco van Basten. A sensação de familiaridade aumentou quando Klinsmann abriu o placar e Brehme ampliou, já no fim. A pressão holandesa resultou em um pênalti, convertido por Ronald Koeman, mas a vaga nas quartas de final ficou com a Alemanha.

1986: Bélgica 4 x 3 União Soviética

Oitavas de final
Estádio Nou Camp, em León

A Bélgica teve outra grande geração antes dessa da qual se espera tanto na Copa do Mundo de 2014, de Hazard e Kompany. Liderados pelo goleiro Jean Marie-Pfaff, os belgas foram vice-campeões da Eurocopa de 1980 e chegaram à semifinal da Copa do Mundo de 1986. No México, passaram por um teste duríssimo contra a União Soviética nas oitavas de final e saíram por cima. O jogo foi lá e cá até a prorrogação. Igor Belanov abriu o placar com um golaço da entrada da área e Enzo Scifo empatou. Novamente Belanov colocou os soviéticos à frente e desta vez o capitão Jan Ceulemans tratou de igualar os marcadores. No tempo extra, Stephane Demol e Nico Claesen abriram vantagem e nem o terceiro de Belanov, de pênalti, tirou a Bélgica das quartas de final.

2002: Coreia do Sul 2 x 1 Itália

Estádio Daejeon, em Daejeon (COR)
Oitavas de final

A eliminação da Itália nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2002 tem alguns culpados. Christian Vieri perdeu gols que deixariam qualquer centroavante maluco – e ele não escondeu isso ao manifestar suas frustrações socando o chão ou simplesmente se deitando. Christian Panucci errou feio no gol da Coreia do Sul que levou o jogo à prorrogação. E o árbitro equatoriano Byron Moreno deu uma mãozinha: marcou pênalti no primeiro tempo, que realmente aconteceu e Buffon defendeu. Deu um cartão amarelo bem rigoroso para Francesco Totti em uma dividida pelo ar e expulsou o atacante da Roma ao ver simulação em um lance que poderia muito bem ser interpretado como pênalti a favor da Itália. E ainda anulou um gol de Tommasi que parecia estar na mesma linha. No tempo extra, Jung Hwan Ahn fez o gol de ouro, de cabeça.

2006: Portugal 1 x 0 Holanda

Estádio Franken, em Nuremberg (ALE)
Oitavas de final

Uma partida não precisa ser um primor de técnica para ser muito legal. O árbitro russo Valentin Ivanov deve ter usado todo o espaço disponível para anotar os amarelados de Portugal e Holanda, na Copa do Mundo de 2006. Foi o jogo com mais advertências da história: 16 amarelos e quatro vermelhos. Talvez também tenha sido a partida mais sul-americana, bem no estilo Libertadores, que os mundiais já viram, justamente protagonizada por dois europeus. Luiz Felipe Scolari, técnico dos lusos, estava em casa. E olhando as imagens, para falar a verdade, Ivanov foi até conivente com a violência, porque deu amarelo em jogadas que claramente mereciam expulsões diretas. Os ânimos estavam acirrados e houve aglomerações de jogadores pelo menos umas três vezes. Portugal venceu, gol de Maniche, ainda no primeiro tempo.


32 respostas para “Listamos os 10 melhores jogos esquecidos da Copa do Mundo”

  1. Renan Prates disse:

    dos que vi, Romênia 3 x 2 Argentina foi o mais marcante: https://www.youtube.com/watch?v=aDHg0WaknfY

  2. Jaime Aparecido disse:

    Esse jogo entre Portugal e Holanda realmente foi épico. Também lembro de 2 partidas: Alemanha 8 X 0 Arábia Saudita pela copa de 2002 e Portugal 8 X 0 Coreia do Norte, sem contar alguns jogos do Brasil de 2002 pra cá. Vamos ver que surpresas essa copa nos reserva.

  3. França 1 x 0 Paraguai, primeiro gol de ouro da história das Copas

  4. Vitor Carvalho disse:

    uruguai x gana da última copa e brasil x holanda de 94 também merecem destaque

  5. Augusto SS disse:

    Qual critério define se um jogo é “esquecido”? Pq eu me lembro muito bem de alguns desses.

    Croácia 2 – 2 Austrália; em 2006, última rodada da fase de grupos, foi um jogão.

    Outro jogo do qual gosto bastante é Alemanha 2 – 0 suécia. Melhor atuação coletiva daquela Copa. Bombardearam Isaksson do começo ao fim do jogo. Ballack jogou muito bem, e a dupla Podolski & Klose foi infernal.

    República Tcheca 3 – 0 EUA foi um show de Rosicky. Pena que aquela lesão na coxa acabou com esse talentosíssimo meia.

    México 1 – 1 Itália, em 2002, foi outro jogaço.

    http://www.youtube.com/watch?v=XAZcWQ-Hia4

    • Marcelo Hideki disse:

      A classificação da Colombia(1×1 contra a Alemanha) e Uruguai(gol do Fonseca nos acréscimos contra a Coréia do Sul) para as 8as em 90 são dois momentos dramáticos das Copa

  6. Megas_Alexandros disse:

    De cabeça, sem pesquisar: Romênia 3 x 2 Argentina (1994), Uruguai 3 x 3 Senegal (2002), Dinamarca 4 x 1 Nigéria (1998), Holanda 2 x 1 Iugoslávia (1998)…

    Claro, além dos penais do Goycoechea contra Iugoslávia e Itália na Copa de 1990 (e da cagada do Higuita contra Camarões)…

  7. Adriano Augusto disse:

    Paraguai e Espanha/Paraguai e Japão em 2010.Qualquer resultado estava possivel em campo,foram disputados demais.

  8. Hugo Andrade disse:

    Fico com Suécia e Romênia, Quartas de 1994. 2 a 2 nos 120 minutos e vitória sueca nos pênaltis após saírem perdendo: https://www.youtube.com/watch?v=vYLlDJ_7vMY

  9. Diogo Cordeiro da Silva disse:

    Vocês colocam um jogo comprado nos melhores jogos? Aí é foda!

    Mas a lista está boa demais. Uruguai e Senegal foi insano.

  10. Jonn Jozz disse:

    Faltou suecia e senegal em 2002!

  11. JefersonSousa disse:

    Gana x Uruguai em 2010, inesquecível!

    • Giovani Lancellotti Balboa disse:

      Concordo Jeferson. Hoje mesmo estava comentando essa partida com uma amigo. A defesa do Suarez, depois ele chorando a caminho dos vestiários e segundos depois vibrando com o pênalti perdido pelo Gyan… Além da cavadinha do Loco Abreu definindo a disputa de pênaltis… Foi inesquecível!

      • JefersonSousa disse:

        Sem contar que foi a melhor saga de um time africano, que comparado aos medalhões, não tem tanta qualidade. Mas a garra e vontade daquele time foi de fato, muito marcante. Meu irmão, que na época tinha 11 anos, lembra mais desse jogo do que outros mais atuais.

        • Giovani Lancellotti Balboa disse:

          É verdade, a Gana foi uma das grandes seleções africanas nas Copas. E esse jogo com certeza ficará na memória do seu irmão. Quando eu tinha a mesma idade dele, lembro de Alemanha 0×3 Croácia pela copa de 98.

  12. David Sousa disse:

    Estados Unidos x Argélia, 2010.
    Ucrânia x Suíça, 2006

  13. MIGUEL DA CRUZ LUCIO disse:

    a itália em 2002, foi roubada mas bem feito pra o técnico da itália que não levou o baggio!!!

  14. Giovani Lancellotti Balboa disse:

    Coreia do Sul 2×1 Itália foi o maior roubo da história do futebol, o juiz operou a squadra azzurra. Anos depois, um jornal (se não me engano e El país) mostrou que o árbitro equatoriano estava milionário.
    A Fifa que admite jogos suspeitos em amistosos, só porque são amistosos, devia ter investigado mais a fundo essa partida no mínimo suspeita. Foi um escândalo!

    • Luiz Souza disse:

      Não somente este jogo, mas Coreia x Espanha tbm foi roubado.
      Alias, foi mais roubado do que contra a Itália !

      • Giovani Lancellotti Balboa disse:

        Bem lembrado Luiz. Se não fosse a arbitragem jamais os Coreanos teriam chegado ao histórico 4ª lugar na Copa 2002. O Japão tinha uma seleção mais técnica e parou nas oitavas parando na Turquia que era inferior a Espanha e a Itália que estava montando sua base do tetra da Copa de 2006.

  15. Giovani Lancellotti Balboa disse:

    Croácia 3×0 Alemanha pela quartas de finais da Copa da França em 1998 me marcou muito. A geração croata liderados por Boban e Suker assombrava o mundo com futebol muito ofensivo. E mostrava que a Croácia não era apenas uma camisa diferente e bonita.

  16. Júnior disse:

    Bélgica x Arábia Saudita em 1994
    Argentina x Romênia em 1994
    Suécia x Romênia em 1994
    Alemanha x Iugoslávia em 1998
    Holanda x Iugoslávia em 1998
    Argentina x Sérvia e Montenegro em 2006

  17. menon disse:

    Assisti dois desses jogos. Uruguai x Senegal e Portugal x Holanda Otimos

  18. Trindade Machuca disse:

    Boa lista mas faltou o grande jogo alemanha vs italia(1970) jogaço e ainda com beckerbauer machucado jogando a partida inteira

  19. george_queiroz disse:

    União Soviética 4 x 4 Colômbia, 1962. Nunca esquecerei esse dia. :-) Os comunas fazem 3×0, 4×1, e aí Yashin toma um gol olímpico ridículo e numa saída do gol bisonha toma o gol de empate. Aposto que meio time foi jogar na Sibéria depois daquela.

  20. george_queiroz disse:

    Kuwait vs França, 1982 – No melhor estilo Eurico Miranda, o Sheik do selecionado árabe invade o campo logo após seu do time tomar um gol. Ele conversa amigavelmente com o juiz… que em seguida volta atrás e anula o gol francês. Um jogo a não ser esquecido, uma bela inspiração para a cartolagem mundial.

  21. Caio Brandão da Costa disse:

    Pareceu não haver um critério “claro” para o “jogos esquecidos”. Tem dois recentes da Itália aí, pow, hehe. Além de Alemanha x França (um dos mais célebres das Copas. Era melhor lembrar o França x Paraguai e o Alemanha x México, ambos em 1998) e Holanda x Portugal, seleções também midiáticas, em Copas não tão distantes. Uma correção: Carini NÃO cometeu pênalti no senegalês, o Diouf se jogou descaradamente, nem encostado foi. Jogaço mesmo. Colocaria ainda Suécia x Senegal também pelas oitavas.

  22. Rafa2810 disse:

    A impressão desse Portugal e Holanda é que todo mundo entrou dopado!!!!!kkkkkkkkkkkkk Na quarta expulsão da partida o Treinador nem tava mais acreditando na carniceira que o jogo virou!kkkkkkkkkkkkkkk

  23. Arthur Marques disse:

    Suécia x Senegal em 2002 esquecido…mancada hein Trivela, podia entrar no lugar da Itália sendo assaltada em 2002 também.

Deixe uma resposta