Em pouco tempo de jogo em Anfield Road, cerca de 37 minutos, o Liverpool já estava perdendo por 2 a 0 para o Aston Villa. Antes do intervalo, Daniel Sturridge diminuiu e depois Steven Gerrad, em pênalti inexistente em Luis Suárez, empatou. A raça do time de Brendan Rodgers para buscar a igualdade foi louvável, mas a equipe não é mais candidata ao título inglês.

O Liverpool não investiu muito nesta temporada e o problema geralmente foi elenco, mas Rodgers não teve desfalques importantes nesta partida. O time mostrou fraquezas defensivas, com Aly Cissokho perdido na lateral esquerda, da onde saiu o segundo gol do time de Birmingham. A pressão no segundo tempo foi ineficaz. Raheem Sterling foi improdutivo e não deu sequência às boas atuações recentes. E em todas as vezes que Suárez não marcou no campeonato, o time não conseguiu levar os três pontos – exceto nas três primeiras rodadas quando o uruguaio estava suspenso.

Neste sábado, o Liverpool sofreu por falta de fôlego, mesmo, porque são poucos que conseguem emendar uma sequência de vitórias na Premier League. O Arsenal, por exemplo, demorou para abrir o placar contra o Fulham, mas marcou duas vezes com Santi Cazorla e chegou a cinco vitórias seguidas na liga. O Manchester City massacrou o Cardiff City e ganhou o sétimo jogo consecutivo. O Liverpool vinha de dois triunfos, sobre Hull e Stoke. Em 22 rodadas, nunca conseguiu vencer mais do que quatro partidas seguidas.

O Arsenal, líder, já tem oito pontos de vantagem, e o Liverpool pode perder até a quarta colocação, a última que dá vaga na próxima Liga dos Campeões, para o Everton, caso o seu rival local supere o West Brom, na segunda-feira. O Tottenham, que joga no domingo contra o Swansea, também pode encostar.

Evidentemente, todos os times que estão à frente na Premier League podem começar a tropeçar e o Liverpool ganhar todas até o fim, mas sabemos que isso é improvável. O sonho de recuperar o título inglês, conquistado pela última vez em 1990, parece ter acabado. Rodgers tem que se concentrar em terminar em quarto, talvez em terceiro, e devolver o time à Liga dos Campeões, que já sente falta do seu pentacampeão.