Luca Toni é um centroavante de um tipo bastante comum na Itália. Grandalhão, marcador de muitos gols, sabe trabalhar dentro da área como finalizador. Nos duros sistemas táticos italianos, um jogador que rompe as defesas é bastante útil. Foi assim que o jogador decidiu o “Derby della Scala” a favor do Verona contra o rival da cidade, Chievo.

O Verona chega assim a 46 pontos, em sétimo lugar, enquanto o Chievo é 16º, com 27 pontos. O Verona de Toni tem sido uma surpresa na temporada, apesar dos resultados recentes serem ruins – foram quatro derrotas nos últimos seis jogos. Nas últimas duas rodadas, porém, o time venceu.

Foi o 16º gol de Luca Toni na Serie A, o que é um recorde de gols do Verona em uma temporada na Serie A. E a empolgação pela boa fase fez o atacante pensar em Copa do Mundo. O veterano se mostrou satisfeito por ter ido para o Verona, depois de passar a última temporada na reserva da Fiorentina.

“Me desafiar novamente nessa idade no Verona foi uma grande coisa e eu estou muito feliz que fiz isso”, disse o jogador à Sky Sport Italia. “Nós vencemos o dérbi e demos um momento maravilhoso de alegria aos nossos torcedores. Como iremos comemorar? Apenas por alguns dias nos sentiremos mais relaxados”, disse.

Os 16 gols fazem de Toni o terceiro artilheiro da Serie A nesta temporada, atrás de Carlos Tevez, da Juventus, e Ciro Immobile, com 17. Para Toni, seus gols o credencial a pensar em uma vaga na seleção italiana do técnico Cesare Prandelli.

“Por que não? Afinal, se atacantes que marcaram menos gols que eu nesta temporada estão sendo considerados, então faz sentido que eu seja também”, disse Toni. Vale lembrar que o centroavante esteve na seleção italiana que foi campeã do mundo na Alemanha, em 2006. Fez um total de 17 gols em 48 jogos. Bom, considerando que Prandelli tem chamado Alberto Gilardino e Pablo Osvaldo, por que não considerar Luca Toni, não é mesmo?