Lucas ainda não conseguiu emplacar uma sequência de bons jogos (Foto: AP)

Lucas jogou bem de novo, mas ainda precisa deixar de ser um jogador de espasmos

Lucas fez uma ótima partida na vitória do Paris Saint-Germain sobre o Olympique de Marseille por 2 a 0. Não foi a primeira do brasileiro na temporada, que provavelmente vai terminar com o bicampeonato francês do time da capital. Ele fez três gols e deu nove assistências em 17 jogos, a maioria deles como reserva. Uma ótima marca. Então porque há a impressão de que o ex-jogador do São Paulo não está em boa fase?

Um dos fatores é que ainda falta regularidade ao jovem jogador de 21 anos. Uma sequência de bons jogos para convencer Laurent Blanc de que ele deve ser titular do ataque. Entre a vitória por 2 a 0 sobre o Bordeaux, no último dia de janeiro, quando ele deu passe para os dois gols, e a partida deste domingo, houve atuações apagadas contra o Valenciennes e o Toulouse, por exemplo.

Contra o Olympique, Lucas participou bem. Deu uma arancada maravilhosa no primeiro tempo, mas essa jogada simboliza bem como o jogador ainda não está pronto. Ele saiu do meio-campo e driblou quatro adversários, mas chegou na cara de Steve Mandanda sem pernas e desequilibrado. Faltou gás para completar a jogada, e a finalização, tentando encobrir o goleiro, saiu fraca. Ficou fácil para a defesa cortar em cima da linha.

No geral, deu quatro chutes a gol, um deles depois de uma caneta de Zlatan Ibrahimovic dentro da área, e acertou dois. Deu oito dribles e dois dos seus 34 passes terminaram em finalizações dos companheiros. Contribuiu bem com a vitória que aproximou bastante o Paris Saint-Germain do título, ainda mais depois da derrota do Monaco para o Saint Étienne, no último sábado. Agora, são oito pontos de vantagem na liderança, a 11 rodadas do final do Campeonato Francês.

E as boas notícias não param por aí. Depois de um mês afastado, Edinson Cavani voltou de lesão e marcou o segundo gol, de cabeça. A equipe ainda conseguiu uma vitória importante, em um clássico, sem precisar que Ibrahimovic balançasse as redes, o que mostra amadurecimento – é verdade que o sueco deu o passe do tento que abriu o placar, do brasileiro Maxwell. Com as coisas mais ou menos resolvidas em casa, o PSG pode se concentrar na Europa. Venceu bem o jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Bayer Leverkusen por 4 a 0. E lá também pode ir bem longe.