Ninguém nunca poderá afirmar com certeza absoluta o que aconteceu entre Luis Suárez e Patrice Evra no suposto caso de racismo do uruguaio. Sua mordida em Branislav Ivanovic, do Chelsea, também não fez nada bem à sua imagem. No entanto, Luisito é, sim, capaz de grandes gestos que mostram um lado contrário àquele apresentado pelo atacante dentro de campo. Prova disso é o que ele fez nesta segunda-feira.

Leia também:
Se quiserem beatificar Cristiano Ronaldo, este garoto em coma é o primeiro milagre

Um dia após vencer o West Ham com o Liverpool, mantendo-se na liderança da Premier League, Suárez caminhava por um parque local quando avistou um pequeno torcedor dos Reds batendo uma bola com seu pai. Ao ver que a redonda tinha o símbolo do clube que defende, Luisito dirigiu-se em direção aos dois, tomou a bola do garoto e começou a jogar com ele. Inicialmente, o pai do garoto, que tem síndrome de down, não reconheceu o ídolo dos Reds, e pensou se tratar apenas de um cara irritante. Mas não era, era ele mesmo, Suárez.

No meio da brincadeira, Suárez deixava o garoto dar uma ou outra caneta, garantindo a diversão. Depois do pequeno bate-bola, o uruguaio ainda posou para uma foto com o pai e o filho, e a história acabou divulgada pelo primo do garotinho, que compartilhou a foto e a história do encontro no site Reddit.

Veja mais:
> Futebol descalço na rua foi o segredo para o menino Suárez se tornar tão bom

Eis a prova de que Luis Suárez era competitivo desde criança – e até em uma gincana de TV

Em algumas entrevistas, Luisito já mostrou ser um pouco diferente daquele cara que perde o bom senso quando está em campo, correndo atrás da bola sem escrúpulos, apenas pensando na vitória e em seu time – o que não é ruim, mas às vezes ocasiona em excessos. Essa história do parque agora só corrobora que o uruguaio pode, sim, na verdade, se tratar de um grande ser humano.