Ao longo das últimas cinco temporadas no Estádio San Paolo, Dries Mertens se transformou de um bom coadjuvante do Napoli em uma das grandes esperanças para a reconquista do Scudetto. O desempenho do atacante fala por si, assumindo o papel de referência ofensiva e anotando gols fundamentais aos celestes. Na atual temporada, o belga permanece como artilheiro da equipe de Maurizio Sarri, acumulando 16 tentos. E a adoração dos napolitanos pelo ídolo não se resume ao que acontece em campo. Repetidamente, Mertens demonstra o tamanho de seu coração, com várias ações solidárias. Grandeza revelada pelo Corriere del Mezzogiorno, nesta semana.

O principal episódio narrado pela reportagem aconteceu em meados de dezembro. Mertens atravessava uma incômoda seca de gols na Serie A, que durava nove rodadas. Passou em branco na visita ao Torino, mas contribuiu com a vitória ao registrar uma assistência. E se o jejum persistia em campo, ele decidiu encerrá-lo fora. Chamou um grupo de amigos e comprou diversas pizzas – na cidade onde, afinal, o prato se tornou célebre. Então, o belga se dirigiu à estação central de Nápoles, para oferecer a comida aos moradores de rua. Com um boné tampando o rosto, fez isso sem querer receber publicidade, por pura empatia. Não há fotos do momento, apenas relatos. Invisível entre aqueles quase nunca visíveis, entregou os pedaços com as próprias mãos. Junto, distribui sorrisos. E aqueceu a noite fria daqueles sem abrigo no inverno europeu.

Este é apenas um exemplo. Mas há outras tantas vezes que Mertens agiu como um herói. As crianças ocupam um lugar especial em seu coração. Em 2015, quando ele ainda não desfrutava deste moral todo no Napoli, viu a foto de um garotinho vestindo a sua camisa em uma escola na Guiné. Entrou em contato com o responsável pela imagem, fotógrafo da National Geographic, e conseguiu descobrir quem era o menino. Não apenas enviou mais camisas ao colégio, como também presenteou os estudantes com outros artigos de primeira necessidade. Em Nápoles, ele distribui agasalhos a crianças carentes e, em causa humanitária, também enviou medicamentos a jovens venezuelanos, diante da situação delicada no país. Além disso, participa dos eventos organizados pela fundação do Napoli e visita com frequência um hospital infantil na Campânia, distribuindo presentes aos seus torcedores. Seu xodó é Aurora, uma menina que luta contra o câncer, com quem se “casou” de brincadeira.

E outro ato nobre de Mertens esteve ligado à adoção de animais. Juntamente com sua esposa, Katrin, o atacante abraçou a causa de um abrigo de cães que corria o risco de fechar. Providenciou ajuda e também divulgou a campanha através de suas redes sociais, para que os cachorros do local fossem adotados. Ele mesmo deu o exemplo: levou para casa a cadelinha Juliette. Inclusive, homenageou o animal de estimação na comemoração de um gol contra a Roma na temporada passada, ao “urinar” na bandeira de escanteio. A quem não entendeu o gesto, pareceu uma tentativa de humilhar. Conhecendo um pouco mais sobre o atacante, a impressão muda totalmente.

Nesta reta final de temporada, a maior alegria que Mertens poderá oferecer aos napolitanos está na Serie A. E o empenho do atacante é inegável. Depois da seca que durou até janeiro, ele anotou seis gols nos últimos seis jogos dos celestes na competição. Enquanto o coração estiver pleno, fica mais fácil de brilhar em campo. Pois o belga une os dois mundos da melhor maneira.