Mais que fatal, Cristiano Ronaldo marcou a história: golaço para demolir a Juventus em plena Turim

A Juventus é um time taticamente muito bem organizado e mostrou isso diante do Real Madrid. O placar de 3 a 0 não indica isso, mas o time da Juventus não fez um jogo ruim. Ainda assim, foi demolida. Cristiano Ronaldo foi fatal, artilheiro como tem sido sempre, fez gol no começo do jogo, fez golaço no segundo tempo e ainda deu passe para outro. Os 3 a 0 acabaram com o duelo. Graças, especialmente, a um craque como Cristiano Ronaldo.

LEIA TAMBÉM: Inferior no primeiro tempo, Bayern achou o antídoto no intervalo para superar Sevilla

Logo a três minutos, Marcelo fez ótimo passe para encontrar Isco. O meia espanhol foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para a área, onde Cristiano Ronaldo se antecipou a todo mundo para finalizar sem chances de defesa para Buffon.

A primeira chance da Juventus veio com Higuaín. Cobrança de falta de Dybala para o meio da área e Higuaín tocou de primeira, mas o goleiro defendeu, aos 23 minutos. A Juventus começou a estar mais presente no campo de ataque. Sentia a dificuldade, porém, de entrar na área do Real Madrid e de fato assustar.

Aos 35 minutos, Kroos arriscou o chute de fora da área e a bola explodiu no travessão, assustando Buffon. Logo depois, uma grande chance na cabeça de Chiellini, livre, leve, solto, mas ele cabeceou errado, a bola sobrou na direita e a zaga conseguiu tirar.

Depois do intervalo, o Real Madrid voltou a assustar. Logo a quatro minutos, a bola pipocou na área e Cristiano Ronaldo chegou batendo de pé direito, cruzado, mas mandou fora. Com muito perigo.

O Real Madrid aproveitou um vacilo defensivo da Juventus para voltar a levar perigo. Cristiano Ronaldo interceptou, pegou a bola, mas ficou sem ângulo. Tocou para trás e Lucas Vázquez finalizou forte, para grande defesa de Buffon. A bola sobrou na direita para o Real Madrid e Carvajal recebeu, segurou e cruzou. Cristiano Ronaldo deu uma bicicleta fantástica e marcou 2 a 0. Foi tão impressionante que a torcida da Juventus, resignada, aplaudiu. Foi o 119º gol de Cristiano Ronaldo na Champions League. O maior artilheiro da história do torneio. Chegou a 10 jogos consecutivos marcando gols na competição.

A essa altura, o jogo já parecia difícil, mas ficou ainda mais. Dybala subiu demais o pé para disputar uma bola e o árbitro, além de marcar a falta, mostrou cartão amarelo ao argentino. Como ele já tinha um amarelo no primeiro tempo por simulação, acabou expulso. Acabou ficando pesado demais. E a Juventus ficou com um a menos aos 21 minutos.

O golpe de misericórdia veio pouco tempo depois. Eram 27 minutos quando Marcelo armou a jogada, tabelou com Cristiano Ronaldo e passou por Buffon para marcar o gol: 3 a 0. Não tinha mais volta, a vitória estava assegurada. Depois de 22 jogos sem derrota em casa pela Champions League, a Juventus era derrotada.

E olha que o estrago poderia ser pior. Barzagli falhou na frente de Cristiano Ronaldo e o português chutou por cima do gol. Já aos 45 minutos, em um contra-ataque, Cristiano Ronaldo recebeu o cruzamento livre dentro da área e chutou por cima de forma inacreditável.

O jogo de volta será uma mera formalidade. A Juventus precisará um milagre absurdo para se classificar. A atuação da Juventus não foi ruim, mas os seus erros foram fatais diante de um time que tinha o “assassino” Cristiano Ronaldo. Ele foi completamente fatal.

Vale destacar Isco. O meia, que voltou a ser titular, fez 54 passes. Acertou todos. Foi muito eficiente, distribuiu o jogo, soube controlar bem a bola. Foi também decisivo. Um coadjuvante de luxo de um craque como Cristiano Ronaldo.

À Juventus, resta lamentar. O time comandado por Allegri não conseguiu reverter a proposta do Real Madrid em nenhum momento. O técnico demorou a mexer, não conseguiu mudar o jogo. As condições se tornaram adversas. E a Juventus saiu de Turim com a sensação que a classificação já lhe escapou.

FICHA TÉCNICA

Juventus 0x3 Real Madrid

Local: Allianz Stadium, em Turim (ITA)
Árbitro: Cúneyt Çakir (TUR)
Gols: Cristiano Ronaldo aos 3’/1T e aos 19’/2T, Marcelo aos 27’/2T (Real Madrid)
Cartões amarelos: Betancur, Dybala (Juventus), Sergio Ramos, Kovacic (Real Madrid)
Cartões vermelhos: Dybala (Juventus)

Juventus

Gianluigi Buffon; Mattia De Sciglio, Andrea Barzagli, Giogio Chiellini e Kwadwo Asamoah (Blaise Matuidi aos 24’/2T); Sami Khedira (Juan Cuadrado, aos 30’/2T) e Rodrigo Betancur; Douglas Costa (Mario Madzukic aos 24’/2T), Paulo Dybala e Alex Sandro; Gonzalo Higuaín. Técnico Massimiliano Allegri

Real Madrid

Keylor Navas; Dani Carvajal, Sergio Ramos, Raphäel Varane e Marcelo; Casemiro, Toni Kroos e Luka Modric (Mateo Kovacic aos 37’/2T); Isco (Marco Asensio aos 30’/2T); Cristiano Ronaldo e Benzema (Lucas Vázquez aos 14’/2T). Técnico: Zinedine Zidane