Erik Ortiz tem dez meses e um sério problema cerebral. A displasia cortical provoca 30 ataques epilépticos por dia. Muito para qualquer adulto, nem se fala para um garotinho. Cada exame custa € 6 mil, e a cirurgia para resolver o problema, € 60 mil. Valor fora da realidade dos moradores de Villaluenga de la Sagra, município de três mil habitantes a 50 quilômetros de Madrid. Cristiano Ronaldo sabe disso. E se ofereceu para pagar a conta.

O povoado tentou levantar o dinheiro com ações de caridade e até coletando latas e tampinhas de garrafas. Um amigo do jogador do Real Madrid pediu para o português uma camisa e uma chuteira para ajudar com a arrecadação, mas Cristiano Ronaldo foi mais longe. Doou imediatamente os uniformes e também decidiu bancar a cirurgia, que vai fornecer ao pequeno Erik uma vida mais normal.

Não é a primeira vez que Cristiano Ronaldo faz esse tipo de coisa. Ele já ajudou um garoto com câncer e tentou impedir que um estudante que invadiu o gramado para abraçá-lo perdesse o visto e a bolsa na faculdade. Pode ser tudo parte de uma ação de marketing muito bem orquestrada para apagar a fama de arrogante que ele ganhou no começo da carreira.

Não parece – e não importa, enquanto as pessoas estiverem sendo ajudadas. Doar a camisa e a chuteira seria o suficiente para ganhar a simpatia do público. Ele não precisava também pagar a cirurgia. Esses gestos do melhor jogador do mundo parecem genuínos. E daí que Ronaldo olha para o telão e ajeita o cabelo? O gajo tem um caráter do tamanho da Península Ibérica.

Erik Ortiz brincou com os uniformes que ganhou de Ronaldo

Erik Ortiz brincou com os uniformes que ganhou de Ronaldo