Diante de um cenário imprevisto, os técnicos de United e City, José Mourinho e Pep Guardiola, davam elementos para a análise de que o título da Premier League, da última temporada, ficaria em Manchester. O Chelsea e Antonio Conte apareceram de surpresa para conquistar o troféu, enquanto essas equipes ainda se adaptavam a seus novos comandantes. Aquela previsão pode ter sido apenas transferida para este ano: os Citizens e os Red Devils dividem a ponta do Campeonato Inglês, com 19 pontos, após sete rodadas.

LEIA MAIS: Mais Lukaku, mais Rashford (mais Fellaini) e outra vitória dominante do Manchester United

O Manchester City igualou a pontuação do maior rival, neste sábado, ao vencer justamente o atual campeão Chelsea, em Stamford Bridge, por 1 a 0. O resultado foi importante, mas o que mais chamou a atenção foi a atuação dos visitantes, principalmente no segundo tempo. O Chelsea não conseguiu respirar, não conseguiu sair jogando e foi amassado pela equipe de Guardiola. Em ótima tabela com Gabriel Jesus, De Bruyne marcou o gol da vitória.

Um resultado que ratifica o excelente momento do City nesta temporada. São dez jogos oficiais e nove vitórias – e um empate, contra o Everton, quando, mesmo com um jogador a menos em todo o segundo tempo, conseguiu igualar o placar e quase virar a partida. Ganhou os últimos oito duelos, com apenas dois gols sofridos e 27 marcados, média superior a três tentos a cada 90 minutos. O City de Guardiola começa a amadurecer.

O primeiro tempo foi mais equilibrado, porém. Chelsea e Manchester City trocaram ações, embora a bola, pela característica das equipes, tenha ficado prioritariamente nos pés dos visitantes. Os Blues, no entanto, não precisam trabalhá-la para criar perigo. São mais objetivos e diretos. Na melhor oportunidade dos anfitriões, Azpilicueta exigiu uma boa defesa de Ederson, que pulou no seu canto esquerdo para defender um chute rasteiro.

O City trocava passes para buscar espaços na excelente defesa de Antonio Conte, mas não conseguiu criar tanta coisa. Gabriel Jesus quase marcou ao pressionar Courtois, que tentava sair jogando curto quase em cima da linha de meta, e Fernandinho, completando uma cobrança de escanteio, exigiu uma linda defesa do goleiro belga.

A pressão do Manchester City cresceu no segundo tempo, apesar de Hazard quase ter aberto o placar, ao receber de Fàbregas, dentro da grande área, e puxar para bater cruzado. Ederson fez outra grande defesa. Aos 22 minutos, De Bruyne partiu da intermediária, tabelou com Gabriel Jesus, que deixou de primeira e na medida para o meia belga dominar, levar à perna esquerda e bater cruzado, sem chances para Courtois.

Depois do gol, a superioridade do City foi total. O Chelsea mal conseguia passar no meio do campo, sucumbindo sempre à pressão dos avançados visitantes na saída de bola. Jesus, no comando de ataque graças à lesão de Agüero, envolvido em acidente de carro essa semana, quase marcou o segundo. Sterling deu um lindo passe para o brasileiro, que pegou muito bem de primeira, firme, com direção certa, e Rüdiger realizou um corte brilhante de cabeça.

O Chelsea, mais inconstante nesta temporada, está em quarto lugar, já a seis pontos dos líderes. Um deles é o Manchester City, que promete uma briga ferrenha pelo título contra o seu grande rival United, como mostrou sua excelente exibição neste sábado.