O sonho do “rico primo pobre” da Premier League, o Wigan, de vencer a Copa da Liga inglesa até que durou bastante. Até os 10 minutos do segundo tempo, a equipe perdia só por 1 a 0, e pressionava o Manchester United em busca do empate. Em 9 minutos, no entanto, tudo desmoronou.

O Wigan perdeu seu goleiro, Mike Pollitt, aos 15 minutos de jogo, contundido. Aos 33, o United saiu na frente, com Wayne Rooney. Pascal Chimbonda e Arjan de Zeeuw bateram cabeça depois de um lançamento de Edwin van der Saar e o atacante do Manchester ficou sozinho para marcar.

Até ali, o jogo fora dos Red Devils, mas o Wigan, caçula da Premier League que era cotado para ser rebaixado mas, “turbinado” pelos dólares de seu rico dono vem na nona posição, passou a pressionar. Até os 9 minutos do segundo tempo, a equipe dava toda a pinta de poder empatar.

Aos 10 minutos, no entanto, em uma rápida jogada de contra-ataque que envolveu metade do time, Louis Saha, artilheiro do United na competição, que deixou Van Nistelrooy no banco, fez o segundo. Foi a senha para o “massacre.

Pouco tempo depois, aos 14, Stephane Henchoz errou na saída de bola, que entregou a Louis Saha. O francês serviu Cristiano Ronaldo livre na grande área, e o português não vacilou, marcando o terceiro gol. Na jogada seguinte, o quarto gol: em cobrança de escanteio, Ferdinand cabeceou fraco e a bola sobrou para Rooney fazer seu segundo gol na partida.

Com um título que, costumeiramente, desprezaria, o Manchester United salva uma temporada com poucos motivos de alegria. Embora seja o vice-líder na Premier League, está quinze pontos atrás do Chelsea, além de já ter sido eliminado da Liga dos Campeões e da FA Cup.