A história do Campeonato Brasileiro reflete a geopolítica nacional nas últimas décadas. Primeiro, a Taça Roberto Gomes Pedrosa marcou a expansão do Torneio Rio-São Paulo para outros centros importantes do mapa. Já o estabelecimento do torneio, em 1971, fez parte de um pacote de projetos do governo militar para a integração nacional. E, no fim das contas, o futebol entrou no jogo político durante a ditadura, com a célebre estratégia do “onde a Arena vai mal, mais um time no Nacional”. Especialmente entre as décadas de 1970 e 1980, diversas cidades de grande e médio porte estiveram representadas no certame. Ainda que a ocupação do território refletisse bastante a distribuição populacional, com clubes concentrados pelo litoral e no interior principalmente no Centro-Sul.

Posteriormente, a configuração do Brasileiro se transformou. Durante os anos 1990, explicitava também os desmandos da CBF, com suas mudanças de regulamento para satisfazer o jogo de interesses. Mas, ao menos desde 2003, a estabilidade dos pontos corridos deixou de inchar a competição. Menos participantes inéditos surgiram, pesando muito mais os méritos em campo (e, em alguns casos, os apadrinhamentos de prefeituras ou empresas) para que os novatos emergissem à elite.

No mapa abaixo, publicado originalmente em 2017, fazemos um resgate histórico dos clubes que já apareceram ao menos uma vez na elite do Brasileiro, desde 1959. Cada um está localizado no estádio onde costuma mandar os seus jogos – ou em uma região aproximada, no caso dos mais antigos. As equipes que fizeram parte apenas da Taça Brasil ou do Robertão estão separadas, demarcando os diferentes períodos antes da unificação do Brasileirão – e a ficha de cada clube que participou das duas fases do torneio destaca o número de edições nas quais ele esteve depois de 1971.

Para conferir o estádio de cada time, basta aproximar o mapa. Muitos escudos estão sobrepostos, por isso é preciso chegar mais perto da localização para diferenciar cada equipe. Além disso, a organização dos emblemas é feita automaticamente pelo sistema do Google Maps. Clubes com menos participações no Brasileirão acabam aparecendo por cima.

Viaje e se divirta: