(AP Photo/Kerstin Joensson)

A fase de Reus desde o retorno da última lesão pode dar um alento à temporada do Dortmund

Desde que voltou de uma curta lesão no dia 22 de março, contra o Hannover, marcando gol, Marco Reus tem vivido seu melhor período nesta temporada pelo Borussia Dortmund. É verdade que é um tempo meio curto para avaliações, mas o que o meia-atacante fez desde então é incrível. Nesse meio termo, em sete partidas, foram oito gols e duas assistências. Dentre elas, a vitória deste sábado por 3 a 0 sobre o Bayern de Munique, em plena Allianz Arena. O triunfo de hoje, com uma atuação como a que teve Reus, dá aos aurinegros a esperança de que dá, sim, para atualizar a sala de troféus nesta temporada.

O Borussia ainda está vivo na Copa da Alemanha, que está em sua fase semifinal. Enquanto o Bayern de Munique pega o Kaiserslautern, o Dortmund terá pela frente o Wolfsburg. As chances de um reencontro em breve entre aurinegros e bávaros é grande, e o duelo de hoje não deixa dúvida alguma de que os comandados de Jürgen Klopp têm potencial para desbancar a supremacia de Pep Guardiola e companhia em pelo menos uma competição.

O Bayern apresentou hoje os mesmos problemas que em algumas de suas últimas partidas após o título antecipado da Bundesliga: falta de efetividade no ataque. Mais uma vez, a bola ficou sob domínio dos bávaros, mas isso pouco era revertido em oportunidades incisivas. No primeiro tempo, por exemplo, a equipe finalizou apenas uma vez, e para fora. Isso pode ser apenas consequência do relaxamento natural pós-título. Ainda assim, algo sobre o qual Guardiola precisará trabalhar.

O Dortmund, por outro lado, foi bastante eficiente nesse quesito. É verdade que não teve um caminhão de oportunidades, mas soube contra-atacar e, principalmente, aproveitar esses momentos. Mkhitaryan e Reus deram a velocidade necessária ao time nesse tipo de jogada, e o armênio, desta vez, em detrimento do gol feito que perdeu contra o Real, conseguiu deixar o seu.

Pep Guardiola deve estar uma fera, e, se o Bayern quiser o feito inédito de ter a tríplice coroa em duas temporadas seguidas, precisará de um pequeno despertar urgentemente. Essa pane temporária após o título pode até ser esperada, mas não pode durar muito tempo, já que Real Madrid e Borussia Dortmund (como mostrou hoje) não são adversários que deixarão passar brechas como as que os bávaros têm dado nos últimos duelos.

Formações iniciais

Campinho Bayern Borussia

Destaque

Marco Reus – Dando sequência a uma série de boas atuações desde o retorno de sua curta lesão, o meia foi mais uma vez protagonista, desta vez com gol e assistência. Jogando mais centralizado, foi essencial para os contra-ataques do Borussia e passou a impressão de que estará lá pelo time em uma hipotética final de Copa da Alemanha contra o Bayern. É capaz de decidir grandes jogos.

Momento-chave

O gol de Reus, logo aos quatro minutos da etapa complementar, serviu para evitar que o Bayern voltasse ao jogo e buscasse o empate. Naturalmente, na volta para o segundo tempo, os bávaros foram para cima, mas o tento dos aurinegros no início da etapa final deu a distância necessária para que a vitória ficasse pouco ameaçada.

Os gols

20′/1T – GOL DO BORUSSIA DORTMUND! Após cobrança de lateral, Aubameyang faz o pivô, ajeitando para Marco Reus, que serve Mkhitaryan. Sozinho, o armênio chuta na saída de Neuer e faz 1 a 0.

04′/2T – GOL DO BORUSSIA DORTMUND! Em contra-ataque fulminante, iniciado de sua própria defesa, o Borussia chega rápido à área do Bayern, e Aubameyang passa para Reus, que desvia de leve para ampliar: 2 a 0.

11′/2T – GOL DO BORUSSIA DORTMUND! Sokratis acerta belo lançamento da zaga, e Hofmann domina bem, ajeita o corpo e finaliza na saída de Raeder: 3 a 0.

Curiosidade

Pela quinta vez seguida, o Bayern de Munique saiu perdendo. A última vez que uma sequência dessa tinha acontecido foi entre os meses de maio e junho de 2001.

Ficha Técnica

Bayern de Munique 0 x 3 Borussia Dortmund

Bayern_escudoBayern de Munique

Manuel Neuer (Lukas Raeder, intervalo); Rafinha, Javi Martínez, Dante, David Alaba; Bastian Schweinsteiger, Philipp Lahm; Franck Ribéry (Thomas Müller, 15’/2T), Mario Götze, Arjen Robben (Toni Kroos, 24’/2T); Mario Mandzukic. Técnico: Pep Guardiola

Borussia Dortmund_escudoBorussia Dortmund

Roman Weidenfeller; Kevin Grosskreutz, Sokratis Papastathopoulos, Mats Hummels (Manuel Friedrich, 25’/2T), Erik Durm; Sebastian Kehl, Nuri Sahin; Jonas Hofmann (Robert Lewandowski, 17’/2T), Marco Reus, Henrikh Mkhitaryan; Pierre-Emerick Aubameyang (Milos Jojic, 31’/2T). Técnico: Jürgen Klopp

Local: Allianz Arena, em Munique (ALE)

Árbitro: Felix Zwayer (ALE)

Gols: Mkhitaryan (20′/1T), Reus(4’/2T) e Hofmann (11’/2T)

Cartões amarelos: Javi Martínez e Toni Kroos (Bayern de Munique); Hofmann (Borussia Dortmund)

Cartões vermelhos: Rafinha (Bayern de Munique)