Marco Reus é um dos melhores jogadores da Alemanha nos últimos anos, mas vive também um drama com suas lesões ao longo da carreira. Aos 28 anos, perdeu dois grandes torneios por causa de lesões e, mais uma vez, está afastado por um longo depois de lesão grave no joelho no final da temporada passada. Em entrevista à revista GQ da Alemanha, ele falou sobre tudo isso.

LEIA TAMBÉM: Marco Reus, a perseverança na recuperação e o dilema rumo ao sonho da Copa do Mundo

As lesões já tiraram Marco Reus da Eurocopa 2016 e da Copa do Mundo 2014. Nos dois torneios, ele tinha tudo para brilhar, vinha em boa fase e poderia ajudar o time de Joachim Löw. Acabou ficando fora e não esteve na vitoriosa campanha do título mundial no Brasil.

A última lesão, que o afasta até agora, foi nos ligamentos do joelho e aconteceu durante a final da Copa da Alemanha, contra o Eintracht Frankfurt, em maio. Ele chorou no intervalo da partida, depois de ter que deixar o campo novamente com a suspeita de uma lesão grave. “As lágrimas vieram novamente depois de dois ou três dias quando eu pensei naquilo de novo na minha mente”, contou.

O título da Copa da Alemanha conquistado pelo Borussia Dortmund foi o primeiro na carreira de Reus. Por isso, ele disse que foi como céu e inferno no mesmo dia. “Foi céu e inverno ao mesmo tempo. Foi meu primeiro título e é claro que eu queria celebrar de forma diferente do que com uma lesão de ligamento cruzado”, afirmou.”Contudo, eu acho que é apenas humano  e é importante colocar seus sentimentos para fora”.

Mesmo sabendo que a lesão era grave, ele não imaginou que fosse tão séria quanto acabou se mostrando. “Nós voamos de Berlim para Dortmund e quando as celebrações começaram com uma viagem de ônibus por Dortmund, eu voltei ao hospital para fazer um exame. Eu queria ter certeza rapidamente”, contou.

“Eu não tinha imaginado o diagnóstico de rompimento do ligamento cruzado anterior no momento, porque eu estava cheio de adrenalina. Eu não tinha isso na cabeça ainda. Foi só depois da cirurgia que me dei conta que eu estaria fora por um longo período de tempo”, revelou Reus.

“O pior é que você está sozinho durante a recuperação. Isso que é extremamente difícil para uma pessoa”, contou ainda o camisa 11 do Dortmund. “Você é brutalmente testado mentalmente, porque você tem que trabalhar sozinho. Claro, você tem um fisioterapeuta para te ajudar, mas é diferente de treinar com outros 25 jogadores e ter que se esforçar sozinho. Não fica muito fácil porque você sabe que precisa voltar ao nível de antes da lesão, ou até melhor”.

O atacante tem previsão para voltar a jogar depois da parada de inverno, em fevereiro. “Eu daria todo meu dinheiro para estar saudável de novo e ser capaz de fazer o meu trabalho, para fazer o que eu amo, jogar futebol”, disse Reus.

Com contrato com o Borussia Dortmund até 2019 e foi perguntado sobre uma eventual transferência. “É claro, há quatro ou cinco clubes internacionais que me interessam”, disse. “No dia 31 de maio do próximo ano eu vou fazer 30 anos. Este seria o último grande contrato e uma oportunidade final de tentar algo diferente”, confessou.

“Eu tenho que ser honesto e justo ao dizer que eu não sei onde eu vou acabar jogando. No momento, eu estou muito feliz no Dortmund e não estou pensando no tempo depois de 2019. Mas, é claro, o tempo virá e então eu sentarei e calmamente tomarei uma decisão”, disse.

Reus tem potencial não só para levar o Dortmund adiante, mas também para ser um jogador importante na seleção alemã. Em 2018, Reus tentará levar o time aurinegro ao título alemão, que não vem desde 2012, além de tentar estar saudável para poder ajudar a Alemanha a defender o título mundial na Rússia.