Atualizado, 16h48

O mercado de contratações finalmente fechou, depois de dois meses de muita movimentação para lá e para cá. Muitos times se reforçaram, outros perderam vários jogadores e os elencos agora estão fechados. Contratar agora, só se for jogadores sem clube. Então, chegou a hora de analisarmos as transferências que foram feitas. Confira:

>>> Lista: as principais contratações do último dia de mercado
>>> As três histórias estranhas do mercado de transferências de Milão

A melhor contratação

Diego Costa
Chelsea, € 40 milhões

Bom, era barbada que o atacante era uma boa contratação, mas ainda assim impressiona o quanto Diego Costa chegou chutando a porta no Chelsea (não literalmente, mas olha, se alguém me dissesse que ele chutou mesmo, eu acreditaria). Diego foi um monstro na última temporada, marcou  36 gols em 51 jogos pelo Atlético de Madrid e acabou indo para a Copa do Mundo pela Espanha. Embora a expectativa fosse de que ele se encaixasse bem no estilo de jogo de velocidade da Premier League, mas o início até aqui é daqueles de animar qualquer torcedor do clube: são quatro gols em três jogos. E não só os gols, mas boas atuações. Mesmo antes de entrar em campo, parecia evidente que a contratação de Diego Costa era uma boa para o Chelsea, porque foi uma posição carente do time na temporada passada.

LEIA MAIS: Se não pode com eles… Chelsea fica mais forte com Diego Costa e Filipe Luís

A pior contratação

Shane Long
Southampton, € 14,9 milhões

O irlandês não é exatamente um matador, mas chegou ao Southampton para substituir o centroavante do time, Rickie Lambert, que foi para o Liverpool. Vem do Hull com um retrospecto não muito bom: na temporada passada, 2013/14, pelo Hull, fez 32 jogos e marcou sete gols. Na temporada anterior, 2012/13, pelo West Bromwich, foram 37 jogos e 11 gols. Antes, em 2011/12, foram 34 jogos e oito gols. Bom, deu para perceber que o jogador não é um artilheiro, né? Chega custando caro, mas com um histórico que não justifica. Basta lembrar que Mario Balotelli custou € 20 milhões, mesmo preço de Danny Welbeck. Loic Remy, que saiu do QPR para o Chelsea, custou € 13,2 milhões.

A transferência mais Football Manager

Douglas
Barcelona, € 4 milhões

Douglas com a camisa do Barcelona (AP Photo/Manu Fernandez)

Douglas com a camisa do Barcelona (AP Photo/Manu Fernandez)

Não podíamos deixar de falar de Douglas, o lateral do São Paulo vendido ao Barcelona, uma das transferências mais improváveis da história desse esporte. O jogador era criticado constantemente pela torcida são-paulina, apesar de ter ganhado a posição ali na lateral direita. A especulação da sua transferência para o Barcelona parecia piada, mas aconteceu de verdade e o jogador vestiu a camisa do clube catalão, aumentando o número de laterais direitos do elenco para três – além dele, o compatriota Daniel Alves e Montoya, que é da base. É tão inacreditável que até no Football Manager a gente acharia mentira.

Sandro
Queens Park Rangers, € 7,6 milhões

Sandro com a camisa do QPR

Sandro com a camisa do QPR

Em 2010, Sandro era um dos jogadores mais promissores para a VOLÂNCIA da seleção. Foi para a seleção várias vezes e esteve no grupo de Mano Menezes na Olimpíada de Londres, em 2012. Foi um jogador importante do Tottenham em alguns momentos, mas era atrapalhado ou pelas lesões, ou pela falta de regularidade. Encostado desde a temporada passada, o volante brasileiro era lembrado pela torcida mais pelo carinho e pela raça que sempre demonstrou do que pelas boas atuações – até porque ele quase não jogava, ganhando poucas chances. Então, Sandro acabou se tornando alvo do Queens Park Rangers, um time pequeno de Londres onde será comandado pelo técnico com quem viveu melhor fase no Tottenham, Harry Redknapp. É o tipo de transferência que ninguém apostaria. Algo que talvez fosse possível no Football Manager, com alguma sorte, mas dificilmente no mundo real. Mas rolou. E ele jogará lá mesmo, vendido por uma pechincha.

A maior surpresa

Danny Welbeck
Arsenal, € 20 milhões

Quando ninguém mais esperava contratação alguma do Arsenal, o time foi lá buscar um jogador de seleção inglesa do rival, Manchester United. Aos 22 anos, Welbeck ainda tem muito a provar, mas é um jogador com potencial e, em um mercado de loucuras, o Arsenal pagou relativamente pouco. Se fosse Lallana que tivesse chegado, seria elogiado. Welbeck terá que vencer a desconfiança que o paira, mas é alguém que pode desempenhar um bom papel. Falamos sobre isso aqui.

A melhor pior contratação

Jérémy Mathieu
Barcelona, € 20 milhões

Mathieu, contratado pelo Barcelona (AP Photo/Manu Fernandez)

Mathieu, contratado pelo Barcelona (AP Photo/Manu Fernandez)

O Barcelona precisava muito de zagueiros. Eu disse muito? Leia-se desesperadamente. Loucamente. Contratar um jogador da posição era (ou devia ser, ao menos) prioridade total do clube na janela de transferências. Então, o que os blaugranas fazem? Vão atrás de um jogador alto, já estabelecido na liga espanhola, experiente. E contratam Jérémy Mathieu, do Valencia.

Um jogador bem mais ou menos, consistente, regular, é verdade, mas absolutamente comum. E custando € 20 milhões, valor que certamente seria suficiente para contratar um zagueiro melhor, como Dedé, do Cruzeiro, ou Ezequiel Garay, 27 anos, do Benfica, que foi vendido ao Zenit por € 6 milhões. Bruno Martins Indi e Stefan De Vrij, ambos do Feyenoord, foram vendidos por € 7,7 milhões e € 8,5 milhões, respectivamente, para Porto e Lazio. Ambos têm 22 anos, são altos e fizeram uma boa Copa pela Holanda.

Contratar Mathieu seria uma contratação ruim, ainda mais pagando € 20 milhões. Só que entre as contratações ruins, é a menos pior, afinal, é um zagueiro – embora o francês tenha começado como meia, recuou para a lateral e só depois virou zagueiro.  Ao menos o Barcelona tem um zagueiro a mais no elenco e não depende mais apenas de Gerard Piqué e Javier Macherano jogando improvisados. O time ainda contrataria Thomas Vermaelen, que tem outros problemas, notadamente físicos.

A pior melhor contratação

Toni Kroos
Real Madrid, € 30 milhões

Destaque da Alemanha na Copa, Kroos será o novo camisa 8 do Real Madrid (Foto: divulgação)

Destaque da Alemanha na Copa, Kroos será o novo camisa 8 do Real Madrid (Foto: divulgação)

Um dos melhores jogadores da Copa do Mundo, um jogador que vem sendo regulamente um dos melhores do Bayern de Munique nos últimos anos. Longe de ser uma estrela, mas um jogador capacidade, tecnicamente excelente, tem bom passe, bom chute e bom posicionamento. Só que a marcação não é o seu forte, embora ele também saiba fazer isso e tenha jogado mais recuado tanto no Bayern quanto na seleção alemã. Então, é uma ótima contratação, certo?

Seria, se não fosse para o Real Madrid. Porque era um setor que os merengues tinham boas opções com Xabi Alonso, Modric, Khedira, até Di María. Ainda tinha Illarramendi no banco, assim como Isco. Ou seja: precisava mesmo contratar outro meio-campista? Não precisava. E nem estamos falando dos € 30 milhões pagos, porque nesse mercado maluco, nem foi uma das maiores transferências da Europa. Só que não precisava. E aí o Real Madrid acabou se livrando de dois dos seus jogadores fundamentais, justamente Xabi Alonso e Di María, para acomodar o alemão e James Rodríguez, contratados nesta temporada. Bagunçou o time campeão europeu.

LEIA MAIS: Mais do que um capricho, Kroos pode ser mesmo importante ao Real Madrid

O supervalorizado

Ander Herrera
Manchester United, € 36 milhões

Contratar jogador do Athletic Bilbao é sempre um problema. Como o clube só contrata jogadores bascos, ou de ascendência basca, dificulta muito a saída dos seus principais nomes. Ander Herrera era alvo do Manchester United há tempos e na janela de janeiro chegou a ter várias propostas por ele recusada pelo Athletic Bilbao. A solução para o time de Old Trafford foi uma só: pagar a cláusula de rescisão do meio-campista, € 36 milhões. Conseguiu contar com um jogador ótimo, que mostrava a sua qualidade no time do País Basco, mas que custou muito acima do seu valor de mercado.

Segundo o site Transfermarkt, especializado em mercado, o valor de Ander Herrera quando ele foi contratado era de € 20 milhões. O ônus de contratar jogador do Athletic Bilbao é esse, o clube só vende pela cláusula de rescisão, porque aí não tem como segurar. O Manchester United certamente ganhou um ótimo jogador, que será titular e dará qualidade ao time em um setor crucial, onde tinha muito problema, o centro do meio-campo. Por outro lado, pagou € 36 milhões em um jogador que dificilmente será de fato decisivo. Importante sim, mas decisivo? Dificilmente.

Herrera foi a nona transferência mais cara da janela. É o único entre os dez primeiros que não foi à Copa do Mundo. Sim, porque tem isso: Herrera é um ótimo jogador, mas não está na seleção espanhola. Em um setor onde a concorrência é muito forte, ele não fica nem entre os reservas.

A maior pechincha

Shinji Kagawa
Borussia Dortmund, € 7,5 milhões

Kagawa e Klopp, na primeira passagem do japonês pelo Dortmund

Kagawa e Klopp, na primeira passagem do japonês pelo Dortmund

É verdade que há diversas dúvidas sobre o quanto Kagawa ainda pode render, baseado no que ele fez nas últimas duas temporadas pelo Manchester United e até o seu desempenho na seleção japonesa, não tão bom quanto esperado na Copa do Mundo, por exemplo. Mas Kagawa tem uma qualidade técnica inegável e uma identificação com o Dortmund que é evidente. E poder contar de novo com o jogador que tanto se destacou pelo clube por um preço tão baixo, € 7,5 milhões, em um mercado tão inflacionado é uma grande vitória.

Habilidoso, bom passe e que entra bastante na área para finalizar, Kagawa dá mais poder de fogo ao elenco do Dortmund, que sofreu com as muitas competições na temporada passada. O time tem Henrikh Mkhirtaryan para a posição, além de Marco Reus e Milos Jojic. Kagawa vestirá a camisa 7 do clube e será mais uma boa opção de elenco por ali.

LEIA MAIS: Por uma pechincha, Kagawa volta a escrever sua história no Dortmund

A novela

Falcao García
Manchester United, € 7,6 milhões (empréstimo)

Falcao García foi o alvo do mercado a janela inteira. Muitos times o especularam como contratação: Real Madrid, Manchester City, Arsenal, Juventus… Mas ele acabou indo mesmo para o Manchester United. Mas não sem um draminha. No último dia da janela, quando todo mundo se perguntava para onde iria o jogador do Monaco, ele foi dado como certo no clube de Old Trafford por empréstimo. Só que eis que a janela ia se fechando, as horas passavam e nada da contratação ser anunciada. Tarde da noite, quando muita gente já dormia e o relógio já marcava mais de 1h30 da manhã e os temores que algo tivesse dado errado na contratação, o Manchester United anunciou o atacante por empréstimo de uma temporada e opção de compra. A operação, na verdade, deve chegar a € 65 milhões ao final da temporada, quando o clube deverá exercer a opção de compra. Pelo empréstimo, embora os valores não sejam confirmados, se fala que o clube pagará algo como € 7,6 milhões. Não é pouco, mas é um dos melhores atacantes do mundo.

LEIA MAIS: O que o Manchester United quer ao contratar Falcao García