A princípio, o Campeonato Asiático Sub-23 não possui grandes impactos na rotina do futebol no continente. Ao contrário da edição de 2016, sequer oferece vagas aos Jogos Olímpicos. Mas é um bom termômetro do que há de vir no equilíbrio de forças locais, considerando que é a competição de base com idade mais avançada da AFC. Mal comparando, é o que ocorre no Campeonato Europeu Sub-21. E olhando o agora como um reflexo do que pode ser o futuro, torna-se compreensível a animação dos vietnamitas com o certame. Milhares de pessoas tomaram as ruas do país para comemorar a mera classificação à final, consumada nesta segunda.

O Vietnã vem em crescente nas competições de base da Ásia. O maior exemplo disso aconteceu em 2017. Pela primeira vez em sua história, a seleção local se classificou a um torneio da Fifa, figurando no Mundial Sub-20. E que a campanha tenha sido modesta, encerrada logo na primeira fase, a empolgação era visível nas arquibancadas dos estádios da Coreia do Sul, onde o campeonato foi realizado. Uma massa vietnamita se fez presente e empurrou os compatriotas em campo.

A seleção sub-23 do Vietnã conta com boa parte do elenco que participou do Mundial Sub-20 em 2017. E vai fazendo bonito no Campeonato Asiático, realizado na China. Na fase de grupos, eliminou Austrália e Síria, terminando no segundo posto da chave que também tinha a Coreia do Sul. Surpreendeu o Iraque nas quartas de final, com a classificação saindo nos pênaltis, após movimentado empate por 3 a 3 – com quatro gols na prorrogação.

Já o ápice aconteceu nesta segunda: o Catar esteve duas vezes em vantagem, chegando a anotar 2 a 1 aos 42 do segundo tempo. Contudo, os vietnamitas buscaram o empate por 2 a 2 no minuto seguinte, graças ao belo chute de Nguyen Quang Hai. A representatividade do tento fica evidente pela empolgação do narrador no vídeo abaixo, bem como na incredulidade dos torcedores. E, nos penais, novamente os vermelhos avançaram.

Há uma final pela frente. O Vietnã encara o Uzbequistão, responsável por golear Japão e Coreia do Sul nos mata-matas, no próximo sábado. De qualquer forma, a mera qualificação valeu demais aos vietnamitas. As cenas em Hanói e Ho Chi Minh foram de completo júbilo, com uma multidão tomando as ruas com bandeiras e camisas vermelhas. Parecia mesmo que o Vietnã havia conquistado uma Copa do Mundo. E é de se pensar naquilo que esta geração ainda pode render o país. A única presença na Copa da Ásia aconteceu em 2007, como país-sede, parando diante do campeão Iraque nas quartas de final. E, embora o time tenha feito uma campanha tímida nas Eliminatórias da Copa de 2018, conseguiu se classificar à Copa da Ásia de 2019. É de esperar novos terremotos pelas cidades vietnamitas.