Montagem mercado

Mercado europeu: As 20 principais histórias da janela de inverno

Depois de 31 dias de negociações, a janela de transferências de inverno está encerrada nas principais ligas do futebol europeu. Quem se reforçou para a reta final da temporada, se reforçou. E dá para dizer que muita gente ficou chupando o dedo. Apesar das especulações esquentarem na última semana, boa parte das contratações mais esperadas não aconteceu – como Julian Draxler no Arsenal, um segundo figurão no Manchester United, Yevhen Konoplyanka no Liverpool ou alguém que tirasse Toni Kroos do Bayern de Munique.

Ainda assim, quem estava mesmo disposto a gastar aproveitou bem o momento. Milan, Internazionale e Manchester United, entre os que mais decepcionaram no primeiro semestre, tentaram compensar com grandes reforços. Chelsea, Paris Saint-Germain e Monaco seguiram com coceira nas mãos e torraram mais alguns milhões. Atlético de Madrid e Arsenal foram à caça para manterem o ritmo forte na reta final da temporada. Entre outros tantos que esperam ganhar um impulso com seus novatos.

Nas próximas linhas, destacamos 20 negócios que mereceram atenção neste último mês. E que representam bastante o que aconteceu de mais interessante ao longo deste mercado – para ver as listas completas, sugerimos esta página do ótimo Transfermarkt. Confira nossa seleção:

O melhor reforço

Hernanes comemora com Konko seu gol no jogo contra o Milan (FILIPPO MONTEFORTE / AFP)

Hernanes é um jogador que alia talento e dedicação. Possui uma qualidade técnica notável, mas também não cansa de aprimorá-la nos treinos. Há três anos e meio na Lazio, foi o protagonista do time desde o primeiro momento, mas parecia não ter mais para onde crescer. Na Internazionale, ganha projeção em um clube de maior dimensão, aparecendo como craque em uma nova fase que se desenha em Milão. Tem tudo para formar uma dupla poderosa com Fredy Guarín, que permaneceu nerazzurro apesar do assédio.

A maior contratação

Juan Mata entrou para a história como contratação mais cara feita pelo Manchester United, trazido por € 44,7 milhões. Mas, inflações do mercado à parte, o preço se justifica. O espanhol foi eleito o melhor jogador do Chelsea em suas duas primeiras temporadas com o clube. E os Red Devils precisavam de um reforço de peso após o início de temporada medíocre. A estreia, já com uma assistência, aumentou as expectativas da torcida.

A maior pechincha

Diego foi mais um negócio de mestre do Atlético de Madrid, que já tinha sido um exímio comprador no início da temporada. O meia chega por empréstimo de seis meses, mas, como seu contrato com o Wolfsburg termina no final da temporada, deve continuar no Vicente Calderón. Um jogador que conhece a casa e tende a trazer boas alternativas a Diego Simeone.

A maior barbada

Parecia uma questão de tempo. O Paris Saint-Germain estava de olho em Yohan Cabaye não era de hoje. O Newcastle sabia com quem estava lidando e só deixou de resistir quando a proposta chegou a € 25 milhões. Um ótimo jogador, que torna a cabeça de área do time de Laurent Blanc uma das mais bem servidas do mundo, contando também com Thiago Motta, Marco Verratti e Blaise Matuidi.

O medalhão que ressurgiu em um grande

kall

Kim Källström parecia se afastar dos melhores momentos da carreira. O meio-campista foi protagonista do Lyon e da seleção sueca, mas a ida para o Spartak Moscou indicava um declínio. No entanto, aos 31 anos, o veterano ressurgiu. E em um negócio que parece tão vantajoso para ele quanto para o Arsenal, que ganha um jogador bastante técnico e encorpa o elenco para a reta final da temporada. Não é o ‘Draxler dos sonhos’, mas já valeu.

Quem mais subiu de patamar

As dificuldades na Premier League colocaram o Fulham contra a parede. Contudo, os Cottagers parecem fortalecidos para continuarem na elite por mais uma temporada. São sete novidades, incluindo algumas muito boas, como Kostas Mitroglou, Lewis Holtby e Clint Dempsey. É verdade que os londrinos também perderam Berbatov, Bryan Ruiz e Senderos. Ainda assim, o saldo final se sugere bem mais vantajoso.

O maior desmanche

A crise econômica está pegando firme na Espanha e o êxodo de jogadores é compreensível. Mas não em uma debandada do nível que aconteceu no Valencia. Seis jogadores relevantes do elenco saíram: Guardado, Postiga, Rami, Canales, Pabón e Banega. Em contrapartida, chegaram Keita, Vargas, Senderos e Vinícius Araújo. Boas contratações até, mas que não devem sanar todas as lacunas deixadas pelos que partiram. Mais um semestre difícil que se desenha aos Ches.

O mais desesperado

O West Ham corre sérios riscos de rebaixamento na Premier League. Por isso mesmo, Sam Allardyce tentou atirar para todos os lados e ver se conseguia dar uma guinada no time com reforços. A princípio, nomes como os de Pablo Armero, Antonio Nocerino, Marco Borriello e Carlton Cole garantem experiência para ajudar a atravessar o momento difícil. Problema mesmo é saber se a maioria destes vai mostrar algum futebol, o que não acontece há tempos.

Quem melhor pensou no futuro

Salah comemora o primeiro gol do Basel no jogo

Chelsea trouxe três reforços nesta janela. Matic é o mais tarimbado, enquanto Kurt Zouma e Mohamed Salah são duas grandes sacadas dos londrinos, promessas com grande potencial. O zagueiro do Saint-Étienne combina força física e boa técnica, mas só chega de verdade na temporada que vem. Já o atacante egípcio é um azougue pelos lados do campo, com poder de finalização e personalidade para marcar até contra os próprios Blues na Champions.

O par perfeito

Dimitar Berbatov é um fanfarrão por natureza. Tem um estilo que promete se casar totalmente com a vida badalada do principado de Mônaco. Sobretudo, o centroavante chega ao Monaco para suprir a grande urgência que surgiu na equipe de Claudio Ranieri, após a lesão de Radamel Falcao García. O faro de gol também pode render bem em uma competição mais fraca como a Ligue 1.

A melhor aposta

Jorginho saiu do Brasil cedo demais para deixar lembranças nos torcedores. Porém, era só assistir a qualquer partida do meio-campista pelo Verona para que seu talento fosse notado, excelente para o equilíbrio do time. O Napoli não quis esperar muito para contar com o talento de 22 anos e desembolsou € 5 milhões pela contratação, preço até baixo. Um jogador pronto para o momento e que tende a evoluir ainda mais nos próximos anos.

O mais cobiçado

Pablo Osvaldo fez de tudo para sair do Southampton. Arranjou briga, fez biquinho, não mostrou serviço. Apesar disso, foi pretendido pelos três grandes da Itália. Acabou na Juventus, como principal adição do clube na luta pelo tricampeonato da Serie A. Resta saber se ele será tão útil assim, já que Carlos Tevez e Fernando Llorente andam se entendendo muito bem no ataque bianconero.

Finalmente chegou

Honda enfim assinou com o Milan e, no fim da temporada, tem a missão de liderar o Japão na Copa

Keisuke Honda era bola cantada no Milan há tempos. O japonês já tinha acertado seu contrato com os rossoneri, que tentaram por muito tempo convencer o CSKA Moscou a liberá-lo antes. Os russos não abriram mão de um de seus melhores jogadores, mas, enfim, o meia desembarcou na Itália. Uma excelente opção de velocidade e incisão para o time de Clarence Seedorf, de campanha desapontadora na Serie A – e que também ganhou outras boas opções com Adil Rami, Adel Taarabt e Michael Essien.

A transferência mais bizarra

Você podia não saber, mas Marat Izmailov estava no Porto. Aquele mesmo, meio-campista russo, destaque da seleção e que teve um bom momento no Sporting. Porém, o veterano só entrou uma vez em campo pelo Dragão. E os portistas resolveram mandá-lo embora – para bem longe. O meia é o novo reforço do Gabala, vice-líder do Campeonato Azerbaijano. Mais exótico do que isso, impossível.

Os brasileiros chuparam os dedos

Anderson era um nome quente para o mercado brasileiro. Um jogador claramente sem espaço no Manchester United que poderia ser atraído por uma boa proposta daqui. No entanto, estava claro que o meio-campista seguia forte também como opção na Europa. E acabou ficando por lá mesmo, emprestado à Fiorentina até o final da temporada. Se for bem na Viola, poderá se tornar disputado na próxima janela.

O melhor negócio

Talvez os torcedores do Internacional não concordem com isso. Mas o Sunderland ganha um ótimo nome para o ataque com a vinda de Ignacio Scocco. O artilheiro da Libertadores possui alta capacidade de finalização quando atua centralizado, algo que não foi aproveitado em Porto Alegre. Melhor para os Black Cats, que pagaram € 3,6 milhões pelo argentino, dando um prejuízo de € 600 mil aos colorados em relação à compra do atacante junto ao Newell’s.

O pior negócio

ibson

Sério que o Bologna não consultou ninguém minimamente atualizado sobre futebol brasileiro para fazer sua última contratação? Ibson foi unanimidade em seus últimos três clubes: irritou corintianos, flamenguistas e santistas. Mesmo não jogando o que sabe há tempos, o volante conseguiu uma vaguinha na Serie A depois de rescindir com o Corinthians. Dizem as más línguas que foguetes foram ouvidos nas redondezas do Parque São Jorge.

O pior melhor negócio

Nemanja Matic é um ótimo jogador, vinha de boas temporadas com o Benfica e tende a ganhar espaço rapidamente no Chelsea. O problema foi a forma como os Blues jogaram dinheiro fora nessa história. O sérvio tinha sido incluído no pacote por David Luiz, saindo por € 5 milhões. Voltou pelo quíntuplo. A sorte de Mourinho é que Abramovich tem dinheiro suficiente até para rasgar.

O melhor pior negócio

Kevin de Bruyne é a contrapartida do dinheiro perdido pelo Chelsea. O meia foi trazido pelos Blues há dois anos por € 8 milhões e conseguiu render mais de 100% de lucro ao clube, vendido ao Wolfsburg por € 17 milhões. Mas, na verdade, foi um talento desperdiçado em Stamford Bridge. Descartado por Mourinho, o belga chega como grande nome para o presente e também para o futuro dos Lobos, que esperam melhores resultados ainda a médio prazo.

O negócio mais suspeito

Lacina Traoré era um dos remanescentes no Anzhi após o pesado desmanche que estourou neste ano. Mas não passaria dessa janela. Por € 10 milhões, o marfinense foi levado pelo Monaco. Considerando que os donos dos dois clubes são magnatas russos envoltos por acusações, não tem como não ficar desconfiado. Ainda mais depois de o marfinense, mesmo com a lesão de Falcao García, ter sido emprestado ao Everton.