A discussão sobre quem é o melhor do mundo se tornou excessivamente polarizada nos últimos anos, com Lionel Messi e Cristiano Ronaldo dominando as premiações, mesmo em anos com outros grandes destaques (sim, estou falando especialmente de 2010 e 2013). Ronaldo igualou o argentino na última rodada de prêmios, com cinco títulos para cada. Mas esta temporada, Messi tem jogado um grande futebol e para Jordi Alba, seu companheiro de Barcelona, ele é o melhor com sobras.

LEIA TAMBÉM: Uma assistência cinematográfica de Messi valeu o ingresso na goleada sobre o Celta

“Messi é o melhor jogador da história e o melhor do mundo com folga”, afirmou Jordi Alba depois do jogo contra o Celta, pela Copa do Rei, com uma vitória por goleada, 5 a 0. “É um luxo tê-lo aqui. Todos os torcedores do Barcelona deveriam apreciá-lo, como eu acho que eles têm feito. Ele está aqui há 12 anos jogando m um nível espetacular e este ano ele está ainda mais incrível”, analisou o lateral esquerdo.

Alba tem sido o principal parceiro de Messi nesta temporada. Ele fez assistências para sete dos 22 gols de Messi, que, por sua vez, deu o passe para os dois gols de Alba. Os dois jogadores têm se dado muito bem e a parceria se intensificou muito depois da saída de Neymar, que atuava pelo lado esquerdo do ataque.

A saída do brasileiro e a mudança de esquema deu mais liberdade para Alba chegar ao fundo e, assim, tem sido mais participativo com Messi. Antes desta temporada, Alba tinha dado passa apenas para cinco gols de Messi desde que chegou ao Barcelona.

“É incrível como ele lê o jogo, especialmente para mim”, disse o lateral esquerdo. “Nós sempre procuramos um pelo outro e os conseguimos os dois marcarmos gols hoje. Eu espero que nossa conexão continue assim sempre”, declarou ainda Jordi Alba.

O próprio técnico adversário elogiou a parceria. Juan Carlos Unzué, assistente técnico de Luis Enrique no Barcelona nos últimos três anos, lamentou a falta de capacidade do seu time de impedir esse lado esquerdo dos catalães, que acabou sendo devastador.

“Nós não fomos capazes de defender o binômio Messi-Alba, uma ligação que vimos muitas vezes no jogo que fizemos aqui por La Liga, mas ali conseguimos pará-los”, declarou Unzué. “Nós temos visto muito deles nesta temporada, mas isso faz sentido porque não há mais um ponta na esquerda e há espaço para Alba vir como surpresa”.

Jordi Alba chegou a ter sua titularidade questionada nos últimos anos, com outros jogadores atuando por ali, e a contratação de Lucas Digne já tinha sido um passo para dar uma opção ao jogador da seleção espanhola. Mas Alba, que já tinha dito que sabia que ganharia mais espaço para atacar com a saída de Neymar, tem aproveitado esta temporada para se tornar uma peça importante do técnico Ernesto Valverde.

Com Cristiano Ronaldo vivendo uma fase ruim no Real Madrid, que, aliás, também está muito mal, Messi parece reinar com folga mesmo na disputa pelo prêmio de melhor do mundo. O problema, para o argentino, é que o ano é de Copa do Mundo. O desempenho na Rússia deve ser determinante para conseguir sucesso. Um fracasso argentino e uma boa campanha portuguesa pode virar a mesa na direção de Cristiano Ronaldo.