Lionel Messi foi o grande nome da classificação da Argentina à Copa 2018. Contra o Equador, o camisa 10, capitão e ídolo argentino fez três gols e ajudou a equipe a garantir a vaga na Rússia. Depois de um período difícil, com muitas críticas inclusive da sua participação, a vaga veio. E em entrevista ao canal TyC, ele falou sobre a sua influência na seleção e os rumores, sempre presentes, que ele escolhe jogadores e técnicos do time.

LEIA TAMBÉM: Mascherano: “É preciso ser tolo para que o jogo de Messi não te entre pelos olhos”

A entrevista foi concedida na Rússia, onde a seleção argentina está reunida treinando para o amistoso com a seleção anfitriã da Copa 2018. O jogo será no sábado, às 11h (horário de Brasília), com transmissão da ESPN Brasil.

O técnico Jorge Sampaoli

“Vejo uma pessoa muito inteligente que tem muito claro o que quer das suas equipes; a maneira de viver o que faz, a maneira como prepara suas equipes é o que via como ele preparava o Chile e o Sevilla. Era o que eu esperava”.

Quem evitar no sorteio da Copa

“Não quero cruzar com a Espanha, que é uma das seleções que podem cair no nosso grupo. Seria um rival muito difícil. Os candidatos ao título Espanha, Brasil, Alemanha, França… São as que estão deixando a melhor imagem”.

Dificuldades nas Eliminatórias

“Sempre acreditei que íamos nos classificar. Mas pensei que íamos ganhar da Venezuela, que venceríamos o Peru jogando em casa, que íamos garantir a classificação antes e não teríamos que jogar pela vaga no Equador. Sempre voltávamos a Barcelona no avião fazendo contas…”.

Última Copa ou joga em 2022?

“Por enquanto eu penso na Rússia, que é o mais perto, oxalá podemos conseguir o que todos desejamos, é um sonho que temos todos, depois veremos como segue o caminho. Este tempo passa rápido e não há muito tempo de trabalho, temos que aproveitar para seguir crescendo”.

“Não olho para o futuro, não tenho ideia, hoje por hoje não vou pensar, aproveito cada dia mais o que faço, de jogar cada fim de semana e tenho a cabeça nisso. Quando chegar o momento verei onde estou e o que posso fazer”.

Lionel Messi, da Argentina (Photo by Hector Vivas/Getty Images)

Rumores sobre sua influência na seleção

“Os que estão aqui não são qualquer um: Di María, Agüero, Pipa [Higuaín], são figuras do mundo e que digam que são amigos meus é uma falta de respeito a mim. Não é a primeira nem a última que se diz, milhões de vezes se disse que eu controlo a seleção, que escolho técnicos e jogadores e são todas mentiras”.

“Sou um a mais aqui dentro, trato de dar o melhor e aproveito meus dias na seleção, com meus companheiros. Hoje temos muitos garotos, uma camada de jovens muito importantes. Depois as coisas vão acontecendo e vão demonstrando que são todas mentiras. Estou aqui para somar, para tentar ganhar e nada mais”.

“Todos passamos momentos duros na seleção. Mais além do que se conseguiu, de chegar às finais, houve muitos golpes duros neste grupo. Falo com todos, temos uma grande relação, faz muito tempo que temos jogado juntos e defendendo a camiseta da seleção, temos uma relação muito boa com todos. Tentamos ajudar dentro e fora do campo”.

 Promessa se Argentina for campeã

Há uma lenda na Argentina que o time campeão do mundo na Copa de 1986 prometeu visitar a Virgem de Copacabana de Punta Corral, em Tilcara, em Jujuy, mas nunca cumpriu. Por isso, o time não teria conquistado nenhum título mundial depois disso. Claro, é só uma lenda e já foi desmentida pelos jogadores da época, mas desta vez há uma promessa de fato caso a albiceleste conquiste o título na Rússia.

A promessa que Messi contou à TyC é que irá caminhando de Arroyo Seco, onde o craque tem uma casa, até o Santuário da Virgem María del Rosario de San Nicolás, que fica a 38 quilômetros. O capitão da seleção argentina confirmou a informação e fez a promessa.

“Óbvio, a San Nicolás. Se temos que ir, vamos”, afirmou o jogador, nascido em Rosario. Agüero tratou de se juntar à promessa. “Ah, não é tanto, está bem, estou dentro. De Arroyo Seco a San Nicolás”.

Rivalidade no videogame

Sergio Agüero é o companheiro de quarto de Messi na seleção e os dois dividem alguns momentos entre assistir TV e jogar videogame. “Agora o controle remoto fica comigo, porque não sei o que tanto ele faz no telefone e não dá muita bola à televisão”, brincou Messi.

Os dois jogam muito no videogame. “Ele ganhou pouco de mim, mas ganhou, mas não chegamos a não nos falarmos, as coisas esquentam no momento por causa das disputas”, disse Messi.

Quando se trata de truco, os dois são companheiros, mas Messi reclama do parceiro que ele diz “mentir muito”. “Ele se cansa de jogar e começa a mentir”, contou. “É verdade, porque quando não tenho nada, tenho que mentir, e ele me agarra. Às vezes roubo e ele me agarra. Ele me tirou da equipe em um momento, mas voltamos a jogar e ganhamos dos médicos”, confessou Agüero.