As ruas de Blackhall, no nordeste da Inglaterra, entre Sunderland e Hartlepool, foram tomadas por super-heróis: Batman, Batgirl, Michelangelo, das Tartarugas Ninjas, Homem-Aranha, Capitão América, o Flash e Jermain Defoe. Todos reuniram-se com milhares de pessoas para se despedirem de um garotinho de seis anos que tinha o super-poder de emocionar, de encorajar de inspirar as pessoas a lutarem como ele lutou contra o seu pior inimigo. Na última sexta-feira, Bradley Lowery perdeu a batalha final contra o câncer.

LEIA MAIS: Em mensagem, Defoe dá adeus ao seu melhor amigo: “Durma bem, pequenininho”

Não havia espaço nas ruas de Blackhall para o velório de Bradley. Além de pessoas fantasiadas dos super-heróis favoritos do garotinho, estava um em carne e osso. Defoe não conseguia segurar as lágrimas, depois de ter formado um laço muito forte com Bradley. David Moyes, John O’Shea, Lee Cattermole e Vito Mannone, jogadores o ex-técnico dos Black Cats, também estiveram na lotada igreja que recebeu o funeral do mascote do Sunderland.

A missa foi transmitida para quem se reuniu no lado de fora da igreja. “Ele tinha um sorriso tão grande e bonito que iluminava qualquer sala”, afirmou sua mãe, Gemma. “Um verdadeiro e corajoso super-herói nos deixou. Ele tocou o coração de muitos. Um filho e um irmão carinhoso. Uma linda estrela. Apesar de nosso tempo juntos ter sido curto, você deve ter um trabalho para fazer no céu com os anjos porque Deus o escolheu. Por agora, meu bebê, nós dizemos adeus. Vamos nos encontrar novamente, nosso super-herói que agora está lá em cima no céu”.

O caixão carregado por uma carruagem passou entre as milhares de pessoas vestindo camisas de futebol, muitas delas do Sunderland, com o nome de Bradley nas costas, e chegou à Igreja, onde todos puderam se despedir do garotinho que encantou o mundo do futebol. Que ele possa, agora, descansar em paz.