José Mourinho é um cara muito convicto quanto a suas decisões, mas mostrou que sabe reconhecer seus próprios erros. Contra o Southampton, no Estádio Saint Mary’s, o Chelsea encontrava dificuldades para impôr seu jogo e teve com Fernando Torres chances esporádicas durante o primeiro tempo. O time da casa dominava a posse de bola e com o passar do jogo começou a criar chances também. Entretanto, a partir das mudanças promovidas pelo técnico português, os Blues conseguiram fazer seu jogo fluir e garantir o resultado de 3 a 0.

Mourinho decidiu entrar em campo com Eden Hazard, André Schürrle e Juan Mata formando o trio de armação. Com a pouca movimentação ofensiva, o treinador percebeu o erro que havia cometido e não esperou o tempo passar na segunda etapa para tirar o alemão e o espanhol e promover a entrada dos brasileiros Willian e Oscar, que mudaram o jogo, especialmente o segundo.

O camisa 11 deu início à jogada do primeiro gol, cruzando a bola na área e contando com um desvio na zaga adversária, o que tirou o goleiro Kelvin Davies da jogada e facilitou a vida de Torres, que empurrou a bola para a meta vazia. Alguns minutos depois, Oscar fez lindo lance e rolou a bola para Willian, que arriscou de fora da área para ampliar. Por fim, o meia titular da seleção brasileira deixou o dele. Com exceção à tentativa de cavar um pênalti ridículo logo que entrou, Oscar foi sem dúvidas o nome do jogo, pelo menos dentro das quatro linhas.

Fora delas, no banco de reservas, foi Mourinho quem comandou a reação dos Blues. Talvez os méritos do português possam ser diminuídos pelo fato de que ele próprio decidiu deixar os meias brasileiros de fora no início da partida. Ainda assim, é preciso reconhecer o acerto que teve ao identificar rapidamente o que precisava ser mudado e lançar a dupla a campo. Pragmático e oportunista, o Chelsea venceu seu terceiro jogo consecutivo e, se não fosse a vitória tardia do Arsenal contra o Cardiff, seria agora o segundo colocado. O terceiro lugar deve estar de bom tamanho para o time, por enquanto.