Paul Pogba ainda não se tornou no Manchester United o craque que valeu o alto investimento do clube. Teve seus lampejos e alguns bons momentos, mas não com a consistência que se imaginava quando chegou a peso de ouro da Juventus. E o desempenho com a seleção francesa na Copa do Mundo, fundamental para o sucesso dos Bleus com suas grandes exibições nos mata-matas, deixou o questionamento se poderá atuar da mesma maneira em Old Trafford. Uma interrogação levantada pelo próprio José Mourinho, que mandou seu recado através da imprensa.

“Ganhar a Copa do Mundo é positivo, não tem como ser diferente. Muitos jogadores não tiveram a oportunidade de vencer e ajudar o seu time. Foi fantástico para Paul, ele se saiu de maneira absolutamente brilhante. A questão se concentra sobre ele entender por que foi tão bom, especialmente na segunda metade da competição. Acho que este é o ponto em relação ao seu nível de desempenho e sua contribuição a um time vencedor”, apontou o comandante do United, durante evento na pré-temporada da equipe, realizada nos Estados Unidos.

A postura de Mourinho sugere certo entrave na relação entre o treinador e o meio-campista. O português, no entanto, garantiu que o tratamento segue o mesmo, como com os demais jogadores: “Eu fiz com Paul o que eu faço com todos os meus jogadores. Enviei uma mensagem de motivação antes da Copa do Mundo e, durante a competição, eu não atrapalhei ninguém. Eles precisavam se concentrar no trabalho com a seleção. Depois do torneio, mandei uma mensagem diferente em relação aos outros rapazes, porque ele foi campeão”.

Na TV inglesa, o ex-zagueiro Rio Ferdinand comparou o rendimento de Pogba no Manchester United e na França. Inclusive, questionou a maneira como Mourinho lida com o meio-campista no dia a dia do clube: “José não conseguiu destravar esse Pogba que vimos na Copa do Mundo, precisa fazer isso no United. Ele foi responsável pela seleção francesa, enfrentou muitos testes difíceis no meio-campo e se tornou um talismã para a equipe. No Mundial, ele mostrou de tudo, principalmente disciplina ofensiva e defensiva. Merece todos elogios pela final, em que lutou e fez ótimos passes. Paul volta ao clube com muita confiança””.

Olhando para as estatísticas, defensivamente Pogba foi mais efetivo na Copa do Mundo do que costuma ser na Premier League. Foi superior em desarmes, interceptações, bolas afastadas e bloqueios. No entanto, seus números ofensivos com o clube são melhores – chutes, dribles, passes, aproveitamento nos passes. O que os dados não conseguem mensurar é a agressividade na postura em campo e a solidez das atuações, principalmente nos jogos grandes, como a própria final. Deixam a noção do tamanho do camisa 6 na conquista dos Bleus e da maneira como ainda pode render mais pelos Red Devils.