O último jogo do Bayern de Munique foi em 20 de dezembro. O próximo será apenas em 12 de janeiro. Uma bem-vinda e relativamente longa pausa de fim de ano da qual os clubes alemães desfrutam melhor que o resto da Europa. Muito melhor que a Inglaterra, que, além de não parar, intensifica o calendário no período das festas. Os jogadores do líder da Bundesliga agradecem.

LEIA MAIS: David Silva dá uma prova de profissionalismo imensa, em meio a um momento delicado de sua vida

A discussão é antiga na Inglaterra, mas a tradição sempre acaba vencendo. Nesse período em que os jogadores do Bayern jogarão futebol mais no videogame do que no campo, houve quatro rodadas da Premier League: a 19ª começou dia 22 de dezembro, e a 22ª terminou em 3 de janeiro. Ainda há uma fase da Copa da Inglaterra e as semifinais da Copa da Liga. O Manchester City, ainda vivo em todas essas competições, fará seis jogos antes de os bávaros amarrarem as chuteiras novamente.

Evidentemente, embora não seja o único fator que impede os times ingleses de fazerem boas campanhas europeias recentemente, isso atrapalha. Não há tempo suficiente para a recuperação apropriada, o número de lesões cresce, os jogadores ficam esgotados. Técnicos que vieram de fora, como Jürgen Klopp e Pep Guardiola, já reclamaram bastante da maratona. Depois da vitória por 3 a 1 sobre o Watford, em que Kyle Walker entrou no grupo de lesionados, Guardiola foi mais dramático.

“Vamos matar os jogadores”, disse. O principal ponto de preocupação para Guardiola é o período do Ano Novo, quando seu time atuou no domingo e na terça-feira. “Você pode jogar a cada três, quatro ou cinco dias, mas não a cada dois dias. Nós sobreviveríamos sem um jogo a cada dois dias. Nada aconteceria. Eles jogam 11 meses seguidos. Eles têm que ser protegidos e jogar com qualidade e sem qualidade. Temos que pensar nos artistas”, afirmou.

Enquanto isso, Thomas Müller está com as pernas para o alto.  “Acho que é uma vantagem para nós. Temos esta pequena pausa e também é bom para lidar com a pressão mental. Consigo imaginar as dificuldades para os jogadores da Inglaterra, jogando por 10 ou 11 meses consecutivos. Devem ficar enjoados de ver um jogo de futebol. Eles gostariam de uma pausa também e ainda veem a Copa do Mundo chegando. Acho que é perfeito para nós e deveríamos conseguir aproveitar”, disse.

James Rodríguez é outro bem satisfeito com uma folguinha. “Acho que é bom termos uma pausa de inverno. O corpo precisa. É cansativo ter tantas partidas seguidas. Eu apoio a ideia de uma pausa para que o corpo se recupere bem. Todos concordamos que a temporada é longa. Logo, uma pausa de inverno só pode ser positiva”, encerrou.