Thomas Müller é desses jogadores que os torcedores costumam adorar. Ele não é um gênio como Lionel Messi, nem um cara de talentos tão afiados e lapidados como Cristiano Ronaldo. Não tem a magia de Neymar e nem é um artilheiro nato como o seu companheiro Robert Lewandowski. Ele tem boas qualidades técnicas, mas não excepcionais; tem uma mentalidade forte e apreço por jogos decisivos e uma entrega que o faz parecer estar de corpo e alma em todos os jogos. Mesmo assim, ele sofreu e ficou muitos jogos no banco na temporada passada. E a chegada de James Rodríguez do Real Madrid poderia ser uma ameaça. Mas não é o que Müller acha.

LEIA TAMBÉM: Tolisso: “Vidal joga exatamente do jeito como eu quero jogar”

O Bayern fez duas contratações de peso nesta temporada. Trouxe o meio-campista Corentin Tolisso por um valor recorde, € 41,5 milhões. Depois, conseguiu uma surpreendente contratação de James Rodríguez por empréstimo de dois anos a € 10 milhões e opção de compra por outros € 35 milhões, em qualquer momento dentro do período do empréstimo. Isso poderia significar um problema para Müller, já que o alemão teve uma temporada ruim em 2016/17, ficando no banco muitas vezes e com atuações abaixo do que se espera.

Müller se recuperou em parte na metade final da temporada. E o técnico Carlo Ancelotti também refutou a ideia que James e Müller disputam posição. E o atacante alemão acha, inclusive, que os dois podem jogar juntos. “Eu acho que é algo no meio disso, eu acho que ambos jogadores são muito bons”, afirmou Müller em entrevista ao Omnisport.

“Ambos têm boas personalidades. Nós falamos na última semana que estivemos juntos, então nós podemos cuidar uns dos outros e nos divertirmos”, disse o jogador. “No campo, eles são muito importantes e têm boa qualidades. Eles mostraram isso em todas as sessões de treino. Então é mais que vamos jogar juntos do que competindo um com o outro”, analisou Müller.

Um dos problemas para Müller é que Ancelotti queria um jogador que fosse mais um armador, papel que ele faz menos. E, mais do que isso, o jogador sofreu com a falta de gols e suas atuações tiveram uma queda grande de desempenho. “Não importa para mim se eu serei goleador ou armador. Eu quero ajudar o time e eu acho que as expectativas são muito altas. Então eu preciso marcar gols para que as pessoas fiquem satisfeitas”, disse o atacante alemão.

Na última temporada, Müller fez só cinco gols. Quatro deles nos últimos nos últimos jogos da temporada. Depois do período de adaptação, Müller quer continuar a boa fase do final da temporada passada. Aos 27 anos, o jogador, que já foi muito desejado por outros clubes europeus, espera voltar a ter sucesso no Bayern, na disputa pelo título.

“Eu precisei de um pouco de tempo para conhecer o nosso treinador e o novo sistema, mas eu acho que desde janeiro, na segunda metade da temporada, foi muito bom”, afirmou Müller. “Eu estou ansioso positivamente pela próxima temporada para fazer muito melhor”.

“Normalmente o Bayern quer vencer tudo que joga. Então, não se trata de títulos no futuro, mas é uma questão de ser o melhor em todos os jogos e todos os treinos e em todas as competições. Nós queremos ganhar tudo”, afirmou ainda Müller.

Com a Copa do Mundo ao final da temporada, Müller sabe que precisa mesmo de uma boa temporada até para não perder o seu lugar no time titular da seleção alemã. Joachim Löw ganhou muitas boas opções com o sucesso da Copa das Confederações e também no sucesso do time sub-21. Müller é um jogador que tem potencial para ser decisivo em um time que não falta talento. E, mais do que isso, é um jogador identificado como poucos com a Baviera e com os torcedores. Se recuperar a boa fase, sem dúvida é um jogador com possibilidade de ser não só titular, mas destaque.