Gennaro Gattuso não começou bem sua missão de comandar o Milan, isto é fato. Tinha uma partida teoricamente fácil contra o Benevento e voltou com um empate para Milão, depois de tomar um gol de goleiro nos instantes finais. Pela Liga Europa, mesmo classificado, perdeu para o eliminado Rijeka com o time sem acertar um mísero chute no gol. Por isso, a pressão era grande para a estreia no San Siro, diante do Bologna. Ao menos os rossoneri corresponderam, ainda que de maneira sofrida, ao derrotarem os rossoblù por 2 a 1. Durante e depois do jogo, Gattuso foi Gattuso, com aquela vibração carnal que tanto marcou sua carreira como jogador.

O herói do Milan na partida foi Giacomo Bonaventura. O meio-campista abriu o placar logo aos 10 minutos, aproveitando o bom início dos rossoneri. Uma bobeira coletiva permitiu que o Bologna empatasse aos 23, com chute de Simone Verdi na gaveta. Já no segundo tempo, os milanistas partiram para a pressão. No sufoco, conseguiram arrancar o resultado aos 31, em cruzamento de Borini para Bonaventura completar de cabeça. Ainda haveria tempo para o Bologna dar seus sustos, exigindo grande defesa de Donnarumma e carimbando o travessão, mas desta vez os anfitriões não cederam o empate.

Sempre enérgico, Gattuso teve o seu nome gritado pela torcida. Já ao apito final, aproveitou para dar uma injeção de ânimo em seus jogadores. Reuniu a equipe no centro do gramado para berrar na orelha e demonstrar a união a quem quisesse ver. A vitória contra um rival direto na tabela vale bastante. O Milan sobe ao sétimo lugar, a três pontos da zona de classificação à Liga Europa. Já o Bologna fica em nono.

“Eu sinto a partida intensamente até jogando pebolim com meu filho, é da minha natureza. E certamente aqui no Milan tudo se torna ainda mais emocionante para mim. É uma honra e um privilégio voltar a este clube. Posso treinar o Milan até sem camisa no meio da neve. Eu não mudei, o Milan é minha segunda pele e tento transmitir esse conceito ao elenco. Às vezes quando peço a alguém que corra por cinco minutos, parece que pedi para escalar o Everest. É preciso se esforçar, é preciso se sacrificar. Neste time, nem todos mostraram seu máximo, inclusive os atacantes. Precisamos trabalhar, deixá-los em boas condições. Você precisa pensar na mentalidade, batalhar. A partir disso, vamos a qualquer parte”, declarou Gattuso, após a partida. Se o bom futebol virá, ainda é cedo para dizer. Mas paixão não estará em falta, ao menos na beira do campo.