O Brasileirão já começou e se a possibilidade de título e taça no armário existe apenas pra alguns, uma coisa é igual pra todos. A possibilidade de mandar aquela naba de navio pra Europa. O campeonato “falido”, “nivelado por baixo” e sem “nenhuma qualidade técnica” ainda é uma galinha dos ovos de ouro pra valorosos (e outros nem tantos) clubes europeus. Portanto, hoje começa uma série lembrando os perebas que cada time conseguiu se livrar, os BACHARÉIS da Escola Doni de Empresariado.

Iniciamos os trabalhos com o Coritiba, colaboração especial do @CornetaCoxa, um dos mais ativos corneteiros na internet.

1- Lucas Mendes (para o Olympique Marseille)

Lucas Mendes é produto da base do Coxa. Em 2011, era o grande referencial da Geração Dallas Cup™. O detalhe é que, naquele time, ele era lateral esquerdo improvisado – porque nenhum outro prestava – o que já o credenciava a discípulo de Sergio Ramos. Provou a qualidade em BICUDAR jogo após jogo, até ganhar uma vaga não improvisada no Marseille.

2- França (para o Hannover)

Sim, esse do Palmeiras. Dispensado do Coxa e depois do Criciúma, foi oferecido ao Hannover. Quando chegou, o treinador reclamou, porque a informação que tinha é que o jogador era 10cm mais alto. Para nossa felicidade, esta história é real sim.

3- Ariel Nahuelpan (para o Racing Santader)
Ariel, quando era jogador do Coritiba

Ariel, quando era jogador do Coritiba

Encontraram um cara na segundona argentina que o pessoal chamava de “El Tiburón”. Mandaram trazer. Ariel chegou e, depois de um mês, foi treinar pra aprimorar fundamentos. Foi um cidadão assim que o Racing Santander contratou pra furar as defesas do Barcelona e do Real Madrid.

4- Roberto Brum (para o Académica)
Brum ao lado de Marcel, que só não entrou nessa lista porque enganou os coreanos antes

Brum ao lado de Marcel, que só não entrou nessa lista porque enganou os coreanos antes

Esse todo mundo conhece. No Coxa, jogou a Libertadores de 2004 (foi expulso na estreia, contra o Sporting Cristal, o Jogo do Esmerode™). Prometeu fazer um gol no aniversário da mulher e fez. Perfil ideal para preencher a lacuna da volância no futebol português, onde prontamente matou todos os portugas de sono com seus discursos.

5- Felipe (para o Standard Liège)

Sabe aquela história de “cada enxadada, uma minhoca”? Eu queria que fosse assim com o Felipe. Digo, literalmente, carpindo mesmo, longe do futebol. Felipe se segurou um ano inteiro como titular por ser da base (?!), apesar do aproveitamento de 2,1% de toques na bola para a frente. Poderia ser pior, mas o Standard Liège salvou o Coxa dessa possibilidade.

Hors Concours

Keirrison (para o Barcelona)

Tecnicamente, ele se transferiu via Palmeiras, mas tecnicamente ele nunca passou pelo portão que ilustra a capa desse post, então tá tudo certo. Não precisamos falar mais. Todo mundo caiu no conto. Até a Trivela.

Pelo menos ninguém aqui gastou 23 milhões de Euros.

Infelizmente, não deu

Infelizmente, não deu