A oito minutos da disputa de pênaltis, Mario Götze matou no peito e chutou para marcar o único gol da partida. O Maracanã observava o promissor jogador alemão, ainda com 22 anos naquela época, se tornar o herói do título da Alemanha na Copa do Mundo do Brasil. Mas ele não terá a oportunidade de repetir o feito na Rússia. O técnico da seleção alemã, Joachim Löw, anunciou os 27 pré-convocados para o Mundial de 2018 sem o jogador do Borussia Dortmund. 

LEIA MAIS: As convocações à Copa do Mundo anunciadas até agora

O ciclo de Copa do Mundo foi muito complicado para o garoto prodígio. Sem espaço no Bayern de Munique, Götze retornou ao Borussia Dortmund, dois anos depois daquele jogo contra a Argentina. No começo de 2017, sofreu lesões musculares e descobriu que tinha problemas de metabolismo. Ficou quase sete meses fora de ação. Retornou em agosto e fez uma temporada regular, sem brilhar muito. Foi titular em 26 dos 48 jogos do clube na temporada e entrou no decorrer de seis partidas. 

Götze chegou a se declarar 100% e buscava retornar à seleção alemã. Ele ainda participou do ciclo da Eurocopa de 2016 e de algumas partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo. No entanto, desde novembro de 2016, soma apenas 45 minutos em campo, em dois amistosos contra Itália e França. Foi convocado no fim do ano passado, mas não convenceu Joachim Löw. “Não foi a temporada dele”, disse o técnico. “Ele tem uma qualidade incrível, mas não está realmente em forma no momento. Eu sinto muito pessoalmente por ele”. 

A presença de Manuel Neuer na Rússia segue incerta, embora promissora. O goleiro do Bayern de Munique sofreu uma lesão séria no pé e não atua desde setembro. Soma apenas quatro partidas na temporada. Ele já retornou aos treinamentos e foi incorporado na pré-convocação. Será levado para o campo de treinamento na Áustria para ser avaliado pela comissão técnica da seleção. “Ele está treinando normalmente em Munique. Queremos observá-lo diretamente. Vamos vê-lo no campo de treinamento e julgaremos”, disse Löw, que também alertou: “Sem tempo de jogo, você não pode ir para um torneio desses”. 

Entre as ausências, destaca-se também a de Emre Can. O volante do Liverpool não atua desde março e tenta se recuperar a tempo da final da Champions League contra o Real Madrid. Deveria retornar aos treinamentos semana passada, mas não progrediu como se esperava. “Ele disse que não consegue fazer nada além de musculação. Não tem corrido”, explicou Löw. 

Outro que ficou fora da lista foi o atacante Sandro Wagner, que havia sido convocado para os últimos seis jogos da Alemanha. Neste caso, a opção foi técnica. Löw preferiu Nils Petersen e Mario Gomez para a disputarem o posto de centroavante. Com 15 gols na Bundesliga pelo Freiburg, Petersen parece estar à frente. “Também sinto muito por Wagner. Não foi uma decisão contra ele, mas a favor dos outros”, explicou. “Petersen marcou 15 gols por um time que não faz muitos gols”. 

Com uma boa sequência pelo Dortmund na reta final da temporada, Marco Reus foi incluído na convocação. Ele perdeu a última Copa do Mundo por lesão e sua última partida pela seleção foi ainda antes da Eurocopa da França. “Espero que ele se mantenha saudável. Ele pode nos ajudar na Copa do Mundo”, afirmou Löw. 

Antes de viajar para a Rússia, o técnico da Alemanha terá que cortar quatro jogadores. Um deles certamente será um goleiro. Caso Neuer esteja recuperado, o favorito a ficar em casa é Kevin Trapp, do Paris Saint-Germain. Löw deve escolher um entre os dois centroavantes – Gomez ou Petersen -, já que Timo Werner deve ser o titular. Os outros possíveis cortes são o zagueiro Jonathan Tah e o meia Sebastian Rudy. 

Renovação

A Alemanha passou por um processo de renovação depois do título mundial. Perdeu bandeiras como Schweinsteiger, Lahm, Klose e Podolski. Joachim Löw aproveitou o ciclo para encontrar novos jogadores, tanto que apenas nove do Mundial estão entre os 27 pré-convocados, embora sejam jogadores importantes e integrantes de uma espinha dorsal. Há apenas cinco da Olimpíada de 2016.

Naquele mesmo ano, houve a Eurocopa da França, e 15 jogadores daquela campanha da Alemanha estão na lista divulgada pelo técnico nesta terça-feira. É o mesmo número de nomes repetidos em relação à convocação para a Copa das Confederações do ano passado, quando Löw usou deliberadamente uma equipe jovem e inexperiente. No entanto, apenas cinco jogadores estiveram nos dois torneios: Leno, Ter Stegen, Rüdiger, Draxler e Sané. 

Falando em renovação, Löw estendeu o seu contrato com a seleção alemã até 2022, independente do resultado na Copa do Mundo da Rússia. O treinador está à frente da Alemanha desde 2006. 

Copa 2014: 9

Neuer, Boateng, Hummels, Ginter, Draxler, Khedira, Kroos, Müller, Özil,

Olimpíada 2016: 5

Ginter, Süle, Goretzka, Brandt, Petersen, 

Eurocopa 2016: 15

Neuer, Leno, Ter Stegen, Boateng, Rüdiger, Hector, Hummels, Khedira, Kroos, Özil, Draxler, Müller, Kimmich, Gomez e Sané

Copa das Confederações 2017: 15

Leno, Ter Stegen, Trapp, Sule, Rudiger, Ginter, Kimmich, Plattenhardt, Hector, Goretzka, Rudy, Draxler, Werner, Sané e Brandt

Confira os 27 da Alemanha

Goleiros: Bernd Leno (Leverkusen), Manuel Neuer (Bayern de Munique), Marc-André Ter Stegen (Barcelona), Kevin Trapp (Paris Saint-Germain)

Defensores: Jérôme Boateng (Bayern de Munique), Matthias Ginter (Monchengladbach), Jonas Hector (Colônia), Mats Hummels (Bayern de Munique), Joshua Kimmich (Bayern de Munique), Marvin Plattenhardt (Hertha Berlim), Antonio Rüdiger (Chelsea), Niklas Süle (Bayern de Munique) e Jonathan Tah (Leverkusen)

Meias: Julian Brandt (Leverkusen), Julian Draxler (Paris Saint-Germain), Leon Goretzka (Schalke 04), Ilkay Gündogan (Manchester City), Sami Khedira (Juventus), Toni Kroos (Real Madrid), Mesut Özil (Arsenal) e Sebastian Rudy (Bayern de Munique)

Atacantes: Mario Gomez (Stuttgart), Thomas Müller (Bayern de Munique), Nils Petersen (Freiburg), Marco Reus (Borussia Dortmund), Leroy Sané (Manchester City) e Timo Werner (RB Leipzig)