O domingo do dérbi de Roterdã terminou muito bem para o Feyenoord. O atual campeão holandês impôs uma goleada impiedosa por 7 a 0 para cima do Sparta, fora de casa, e ainda pode se vangloriar de ter sido responsável por derrubar o técnico do rival. Alex Pastoor foi demitido pelo clube, pouco depois da partida válida pelo Campeonato Holandês.

LEIA MAIS: Feyenoord ofereceu um tributo sem igual à memória do filho de Brad Jones, falecido há exatos seis anos

A goleada quebrou dois recordes. Segundo a NU Sport, foi a pior derrota que o Sparta Roterdã já sofreu no seu estádio. E a Voetbal International informa que esta foi a maior vitória do Feyenoord no dérbi da cidade, tradicional rivalidade da Holanda, que se enfraqueceu pela diferença cada vez maior entre os dois clubes.

Pastoor assumiu o comando do Sparta em 2015 e foi campeão da Jupiler League, a segunda divisão holandesa. Na temporada seguinte, conseguiu manter o Sparta Roterdã na Eredivise, por muito pouco. Superou o NEC apenas no saldo de gols. Mas seu trabalho degringolou. O Sparta é vice-lanterna, com apenas duas vitórias em 16 rodadas, e foi eliminado da Copa da Holanda pelo RKC Waalwijk, da Segundona.

O Feyenoord já vencia por 4 a 0 quando o árbitro apitou o fim do primeiro tempo. Abriu o placar com um chute de fora da área de Tonny Vilhena, muito bem aceito pelo goleiro Kortsmit. Sem marcação, Dylan Vente ampliou, de cabeça, e St. Juste fez o terceiro, no rebote. Vilhena mandou outra bomba de fora da área para marcar o quarto.

Renato Tapia marcou de cabeça, em escanteio, e Berghuis completou contra-ataque. Bilal Basacikoglu fechou o caixão, com direito a um chapeuzinho no goleiro antes de finalizar para o gol vazio.

Depois de um começo ruim de temporada, o Feyenoord recupera-se e chegou a quatro vitórias em cinco partidas, por todas as competições. Está em quinto lugar na Eredivisie, a 14 pontos da liderança, com um jogo a menos.

.

.