As categorias de base do Barcelona e do Ajax carregam consigo muita mística. Denúncias de aliciamento de menores à parte, La Masia costuma ser apontada sempre como o grande exemplo de excelência – com Messi, Xavi, Iniesta e tantos outros servindo para asseverar o sucesso. Já o Ajax, embora tenha se afastado do topo da Europa (justamente pela perda acelerada de seus prodígios) se mantêm como referência na formação de jogadores. Uma fama que também se traduz em números e fez os dois clubes serem eleitos como os donos das mais produtivas divisões de bases da Europa.

O ranking foi montado de maneira bem simples pelo site Sporting Intelligence, em parceria com o CIES Observatory. O maior objetivo da base não é revelar jogadores, mais do que ganhar títulos? Pois bem: bastou somar os pratas da casa que compõem o elenco principal com os espalhados por outros clubes da elite europeia. O Barcelona foi o líder da lista quando se consideraram apenas as cinco grandes ligas do continente (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália). Já o Ajax foi o primeiro considerando também outros 26 campeonatos de menor relevância.

No ranking liderado pelo Barcelona, quem também merece ser destacado é o Real Madrid, empatado na segunda colocação com o Lyon. O problema dos merengues, no entanto, é que a maioria de seus prodígios se espalhou por outros países – algo que Carlo Ancelotti tem tentado mudar nessa temporada. O Arsenal, outro que carrega fama de trabalhar bem a base, é o quinto, só com dois jogadores revelados a mais que o Manchester United. Já o Bayern de Munique, famoso por tirar atletas de outros clubes da Bundesliga, tem a maioria de suas pratas da casa espalhadas em outros rincões. No geral, destaque para a Ligue 1, que emplacou oito clubes no Top 22.

CIES-best-producers-13-14-top-22
A outra lista, por sua vez, põe Ajax, Partizan e Barcelona em um nível bem acima do restante dos clubes. Assim como os holandeses, os sérvios são conhecidos por contar com um grande ‘celeiro de craques’ e são os maiores exportadores de jogadores da Europa, com 59 atletas. Berço de Cristiano Ronaldo, o Sporting é o quarto no ranking, empatado com o Hajduk Split. E o mais interessante é que 15 dos primeiros 23 clubes são do leste europeu.

CIES-best-producers-13-14-31-nations
Por fim, um ranking com os melhores clubes ‘fornecedores’ das cinco grandes ligas – ou seja, os de outros países ou de divisões inferiores. A primeira colocação é do Le Havre, seguido por Boca Juniors e River Plate. E o Brasil, embora seja o líder de jogadores expatriados, não possui nenhum clube entre os 12 primeiros colocados.

CIES-best-producers-13-14-external