Parece evidente que a relação do técnico Tim Sherwood com o elenco do Tottenham não é mesmo das melhores. Especialmente com dois volantes brasileiros. Paulinho foi deixado de fora em alguns jogos depois do treinador afirmar que ele não vinha rendendo bem. Perdeu a posição para jogadores como Bentaleb, um jovem argelino de 19 anos, em alguns jogos. Sandro também não vinha atuando muito, mas a coisa ficou grave neste domingo. O Tottenham recebeu o Fulham em White Hart Lane e conseguiu vencer por 3 a 1, em mais uma boa atuação do meia Christian Eriksen e com a volta de Paulinho ao time – e ele marcou o primeiro gol. Só que Sandro sequer foi relacionado. E a briga entre técnico e jogador se tornou pública.

Antes da partida, Sandro usou o Twitter para informar que ele não estava machucado, deixando claro que não foi relacionado por opção de Sherwood. O barraco estava armado. “Bom dia, pessoal, apenas para que vocês saibam que eu não estou machucado! Espero que nós possamos ganhar o jogo hoje”.

Polêmica que continuou na entrevista do treinador após o jogo. Perguntado sobre a questão, o técnico não titubeou ao criticar o volante brasileiro. “Eu não acho que ele é bom o suficiente. Quando ele me mostrar que está no nível dos outros jogadores, ele voltará. Eu gosto de Sandro como jogador, mas ele tem que trabalhar duro para voltar ao time”, afirmou Sherwood aos jornalistas. As declarações do treinador geraram mais um comentário de Sandro no Twitter. Desta vez, o jogador só colocou uma mensagem rindo: “Lol lol lol …” (LOL significa “Laugh out loud”, ou rindo alto”).

Olhando assim, você pode pensar que Sherwood faz isso porque não precisa de Sandro. O time venceu, é verdade, mas o futebol… Foi sofrível. O time continua desorganizado e não parece render como deveria, pelos jogadores que tem. Eriksen segue salvado a pátria com atuações matadoras, mas será suficiente? Mais do que isso, a posição de Sandro parece completamente vaga. Neste sábado, quem atuou ao lado de Paulinho foi Chadli, que é atacante pelo lado de origem. Não pareceu uma boa opção. O Fulham, mesmo muito mal no campeonato, foi até melhor no primeiro tempo.

O único jogador habilitado a ser o primeiro volante do elenco é o francês Capoué, que está machucado e, antes disso, não tinha sido confiável. Sandro é quem pode dar equilíbrio para permitir que alguém como Paulinho brilhe. Com a qualidade que o brasileiro já mostrou, parece uma aposta válida. Ainda mais porque o time tem um setor de meio-campo que é instável, não consegue se firmar, dar segurança à equipe. Dembélé, outro volante, é um jogadoor que atua melhor saindo para o jogo, não como primeiro volante. Falta um jogador com as características de Sandro. A parceria com Paulinho seria o óbvio e daria equilíbrio ao time.

O último jogo de Sandro pelo Tottenham foi contra o Arsenal, no dia 16 de março (Foto: AP)

O último jogo de Sandro pelo Tottenham foi contra o Arsenal, no dia 16 de março (Foto: AP)

Além de uma questão de características, Sandro é um jogador identificado com a torcida dos Spurs, admirado por sua vontade e vitalidade em campo. Não é um jogador que esbanja técnica, mas é um marcador firme. Raça é uma característica que sempre é admirada por torcedores. Sandro alia isso a boas atuações, por isso conquistou o seu espaço no clube. O brasileiro ainda é visto como um líder, capaz de se tornar, no futuro, capitão do time. Por tudo isso, não é algo muito inteligente para Sherwood deixar Sandro afastado, seja pelo aspecto técnico, seja pelo que ele representa no clube.

Há, porém, algo que pode pesar. Um boato circulou após o jogo com o Liverpool que Sherwood teria se desentendido com um jogador do elenco, inclusive chegando às vias de fato. Não se sabe quem foi o jogador que discutiu e teria agredido – ou sido agredido – pelo técnico. Talvez isso sequer tenha acontecido. Não dá para saber se Sandro esteve envolvido nessa discussão. O que fica evidente é que o ambiente no vestiário não é dos melhores e Sherwood é questionado publicamente. E isso não é bom para o time. Talvez não dure mesmo muito tempo.  As especulações são que o técnico, ex-interino e com contrato efetivado por uma temporada e meia, deve sair. O substituto mais falado é Louis van Gaal, técnico da seleção holandesa e com passagens em grandes clubes europeus. Na Itália já se falou também de Massimiliano Allegri, ex-Milan. É esperar para ver. Difícil será continuar com Sherwood no comando e Paulinho e Sandro no elenco.