Quando passa tempo demais sem vencer algo relevante, o torcedor de um grande clube tem mais condições de se dedicar à filosofia. É impossível pensar muito sobre o que te leva a escolher uma equipe se você está ocupado demais decidindo campeonatos e colecionando taças. Se o perdedor constante é um filósofo com tempo livre, o torcedor que ganha títulos com frequência é um magnata bem-sucedido, tão ocupado em seus afazeres que o pouco tempo de sobra é imediatamente preenchido por hobbies: refazer a lista de troféus, atualizar as estatísticas cheias de novas vitórias contra grandes adversários e calcular uma vez mais os rankings que comprovam como seu time é imensamente superior à concorrência.

Veja a crônica completa no Impedimento.