A Thorntons, loja de chocolates inglesa, está vendendo ovos de Páscoa com o nome das crianças. Basta o pai pedir que eles escrevem com chocolate branco. Legal, a molecada deve ficar feliz, parece algo especial e personalizado. A não ser que você seja o garoto de três anos da foto. Afinal, ter um ovo com seu nome pode gerar um processo de Wayne Rooney. Pelo menos era esse o medo dos atendentes neuróticos do estabelecimento.

A questão é que o garoto se chama Rooney, uma homenagem de Jo-anne, a mãe fanática pelo Manchester United. Como as personalidades famosas costumam registrar seus nomes como marcas, a unidade de Bury da Thorntons temia que vender um chocolate com o nome de Rooney poderia causar problemas. Ainda que fosse uma possibilidade legal, era um absurdo imaginar que o jogador gastaria seu tempo estragando a Páscoa de um mini-torcedor.

A solução foi gravar o nome completo do rapaz, o que deixaria claro que a referência no chocolate é a ele, e não ao atacante. E assim foi feito. Mas um novo problema surge: o garoto se chama Rooney Scholes (sim, Scholes é o sobrenome da família), o que apenas dobra a chance de algum ídolo do United processar a loja por cometer o crime de escrever o nome de um menino de três anos em um ovo de Páscoa.