Muito se pensou no que o Napoli poderia fazer contra o Torino, para manter suas chances de título, na antepenúltima rodada do Campeonato Italiano. E parecia que os Partenopei fariam a única coisa necessária: continuar vencendo. Porém, falhas defensivas possibilitaram aos Granate conseguir um ponto, no empate em 2 a 2. Resultado que também possibilita à Juve se aproximar mais e mais do heptacampeonato na Serie A: bastará um ponto, nas duas próximas rodadas, para poder levantar a taça da liga nacional mais uma vez.

O mais cruel em San Paolo foi ver que, pelo menos no começo, a sorte pareceria ajudar o Napoli. Só isso explica o que ocorreu, aos 25 minutos do primeiro tempo. Numa falha impressionante de Nicolás Burdisso, o Napoli conseguiu o gol. O zagueiro argentino recebeu a bola na área, de seu colega Kevin Bonifazi. Atrapalhou-se tanto com o domínio, e demorou tanto para o chute, que Dries Mertens se aproximou e chutou rapidamente, no canto direito de Salvatore Sirigu, para o 1 a 0 partenopeo.

Até então, o Napoli controlava o jogo. Porém, o Torino também contou com algo fortuito no lance em que chegou o empate – já no segundo tempo, aos dez minutos. Daniele Baselli chegou à área pela esquerda, e arriscou o chute. A bola desviou em Vlad Chiriches, e foi acima do goleiro Pepe Reina, no ângulo direito, para o 1 a 1. Começava aí o drama napolitano.

Que pareceu acabar, graças a alguém em quem a torcida se acostumou a confiar. Aos 26 minutos, dois após substituir Piotr Zielinski, Marek Hamsik recebeu a bola de José María Callejón e arriscou o chute. Preciso: no ângulo esquerdo de Sirigu, para recolocar o Napoli na frente. Parecia a salvação. Mas uma desatenção defensiva pôs tudo a perder, no fim. Aos 38 minutos, Adem Ljajic cruzou de fora da área, e Lorenzo de Silvestri encobriu Pepe Reina, de cabeça. Era o gol do 2 a 2. O gol do Torino… comemorado pela Juventus, com seis pontos de vantagem na liderança, a um ponto do heptacampeonato.