A torcida do Colônia já tinha demonstrado a representatividade da Liga Europa para si durante a visita ao Arsenal. Nesta quinta, seria a vez de encerrar a espera de 25 anos como mandante nos torneios continentais. Por isso mesmo, o Estádio Rhein-Energie se preparou especialmente para a noite. Entretanto, o jogo também tinha um significado diferente para os visitantes. O Estrela Vermelha voltava a fazer uma partida fora de casa por fases de grupos de torneios europeus após um hiato de dez anos. Assim, as torcidas acabaram no foco do confronto. Um espetáculo que chamou bem mais atenção que a vitória dos sérvios por 1 a 0.

Cerca de 2,5 mil torcedores do Estrela Vermelha pegaram a estrada à Alemanha. Nem tudo foi tranquilo, com alguns embates que resultaram na prisão de oito pessoas. De qualquer maneira, o intuito por torcer preponderou. Primeiro, os visitantes fizeram um grande cortejo pelas ruas de Colônia, escoltados pela polícia. Já nas arquibancadas, também ofereceram o seu show, com dezenas de bandeiras espalhadas.

O melhor, de qualquer forma, ficou por conta do Colônia. O clube não faz mosaicos, então proporcionou um recebimento diferente do que se costuma ver na Europa. Primeiro, voaram os papéis picados e as serpentinas, em um misto de carnaval local com futebol sul-americano. Então, os sinalizadores criaram uma enorme fogueira atrás dos gols, onde ficam os ultras. Durante 90 minutos, os 50 mil presentes no estádio tinham a missão de cantar a plenos pulmões, e não decepcionaram.

Quem decepcionou mesmo foi o Colônia, como se tornou de praxe nesta temporada. O Estrela Vermelha garantiu a vitória aos 30 do primeiro tempo, num belo chute de Richmond Boakye. Lanterna da Bundesliga, o Effzeh perdeu sete dos seus oito jogos oficiais disputados até o momento, ainda sem vencer – dois deles pela Liga Europa. Já o Estrela Vermelha se recupera do empate em casa contra o Bate Borisov na primeira rodada, aparecendo na zona de classificação ao lado do Arsenal.