Desde que chegou à Espanha, Willian José viu sua reputação crescer como poucos imaginavam no Brasil. Ganhou uma oportunidade no Real Madrid Castilla, como Casemiro, mas não teria a mesma competência do ex-companheiro de São Paulo. Ainda assim, degrau a degrau, foi construindo o seu nome. Passou pelo Zaragoza e pelo Las Palmas, até chegar à Real Sociedad. Depois de uma temporada de estreia satisfatória, o atacante permanece como a principal referência ofensiva em Anoeta. Só não foi titular em um dos 11 jogos disputados pelos txuri-urdin em 2017/18. E se os números não impressionavam tanto, com três gols anotados até então, o camisa 12 desandou a balançar as redes nesta quinta, pela Liga Europa: foram quatro, na goleada por 6 a 0 sobre o Vardar, na visita à Macedônia.

Tudo bem, o Vardar está longe de ser um adversário temível, já satisfeito em colocar seu país pela primeira vez na fase de grupos de uma competição europeia. A defesa não se cansou a dar espaços. Willian José, de qualquer forma, estava ali para cumprir o seu papel. E cumpriu. Foram oito finalizações do brasileiro ao longo dos 60 minutos em que permaneceu em campo, antes de ser substituído. Além de marcar os quatro gols, também acertou a trave. Coroou o massacre dos bascos, demonstrando algumas das virtudes como centroavante. Anotou gols de esquerda, de direita e também de cabeça.

Mikel Oyarzabal abriu o placar aos 12 minutos, após cobrança de escanteio, aparecendo livre no segundo pau. Já o show de Willian José aconteceu a partir dos 34. Foram dois gols antes do intervalo, primeiro tabelando com liberdade e tocando no canto aberto do goleiro, antes de acertar um chute rasante de fora da área para ampliar. Logo aos 10 do segundo tempo, o camisa 12 reapareceu para cabecear livre. Por fim, fechou sua marca aos 14, em bola que sobrou em seu pé e ele fuzilou. O suficiente para ser substituído pelo técnico Eusebio Sacristán no minuto seguinte. Ao final, Alberto de la Bella fechou a conta para a Real.

Willian José nunca vai ser um craque. A Real Sociedad já está acima do que muitos poderiam projetar à sua carreira. E a virtude do centroavante está justamente em aproveitar a chance. Vai amadurecendo seu jogo e aparecendo em determinadas ocasiões. Os quatro gols na Liga Europa valem como uma referência para continuar fazendo o seu trabalho, de pouco talento, mas de muito empenho. Vez ou outra, dá para ser agraciado com uma noite um pouco mais inspirada, que garante seu moral junto à torcida.

Sétima colocada no Campeonato Espanhol, a Real Sociedad deve brigar pela classificação às copas europeias, embora dificilmente tenha gás para chegar à zona da Liga dos Campeões. Enquanto isso, na Liga Europa, não deverá ter problemas para se classificar aos mata-matas, brigando com o Zenit pela primeira colocação do Grupo L, com o Rosenborg correndo por fora. Pretensões razoáveis para um clube de orçamento modesto, mas que tem feito algumas boas apresentações neste início de temporada.