Existem prêmios paralelos entregues ao melhor jogador da temporada na Premier League. O mais referendado é o da PFA, a Associação de Futebolistas Profissionais, que reúne os votos dos atletas. A FWA conta com uma eleição feita entre os cronistas esportivos. E há a honraria entregue pela própria liga. Ganhar qualquer uma delas possui um simbolismo imenso. Pois até hoje, apenas um brasileiro conseguiu levar a condecoração para casa. Em um ano no qual competia entre favoritos como Alan Shearer e Gianfranco Zola, Juninho Paulista faturou o prêmio oferecido pela Premier League – enquanto os outros dois craques, respectivamente, foram homenageados pela PFA e pela FWA. Feito e tanto do brasileiro, que representa muito bem sua história no Middlesbrough.

Juninho chegou ao Boro em 1995, após fazer sucesso na Copa Umbro, torneio disputado pela seleção brasileira na Inglaterra. Tal qual Mirandinha, anotou um gol na vitória por 3 a 1 sobre os ingleses e cavou seu lugar no futebol local. Em tempos nos quais a Premier League abria paulatinamente os seus elencos a estrangeiros, e o Brasil não tinha muita penetração, a transferência a um clube recém-promovido já era expressiva por si. E o garoto de 22 anos não se conteve ao coadjuvantismo.

Brilhante individualmente, “The Little Fella” ajudaria os alvirrubros em uma campanha de meio de tabela na primeira temporada. Já em 1996/97, apesar do rebaixamento, recebeu o prêmio de melhor da Premier League – o que amplia ainda mais sua façanha. Naquele ano, seria também finalista da Copa da Inglaterra e da Copa da Liga Inglesa, mas perderia ambas, para Chelsea e Leicester. De qualquer forma, o camisa 10 encantava por seus dribles verticais, seus passes precisos e sua categoria nas bolas paradas

Diante da queda, Juninho seguiu para o Atlético de Madrid, mas voltou ao Middlesbrough em outras duas passagens. Inclusive, depois de conquistar o pentacampeonato mundial com a seleção brasileira. Em 2004, esteve presente no maior título da história do Boro, a Copa da Liga Inglesa, decisivo na semifinal contra o Arsenal e titular na final contra o Bolton de Sam Allardyce. Levando em conta todos os sucessos, não sem razão, o meia costuma ser considerado o melhor atleta da história dos alvirrubros. E por mais que ele tenha escrito grandes histórias em outros clubes de peso, no dia em que completa 45 anos, vale rever as imagens indeléveis vivenciadas no Estádio Riverside: